Março marca o mês da campanha mundial de conscientização da endometriose.

23 mar
Março marca o mês da campanha mundial de conscientização da endometriose.

Além de ser o mês comemorativo do dia Internacional da Mulher, março também marca a campanha Mundial pela Conscientização da Endometriose, uma doença que atinge cerca de 10 a 15% das mulheres em idade fértil e é uma das maiores razões da infertilidade feminina.

As fortes cólicas e a dificuldade para engravidar são alguns dos principais sintomas da patologia.

IMG_8998

Apesar de muito conhecida, a endometriose ainda é um mistérios para muitas mulheres. E o que é esta doença que pode levar a infertilidade?

É uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

E essa formação de tecido sobressalente, normalmente, aparece nos ovários, intestino, no reto, na bexiga e na membrana que reveste a pélvis, embora possa aparecer em outros órgãos.

Hoje, uma das maiores dificuldades no tratamento da patologia é o diagnóstico tardio. Por falta de conhecimento, em média, uma paciente leva cerca de sete anos para descobrir que tem endometriose e, muitas vezes, já está em um grau avançado e comprometendo outros órgãos.

O Dr. Diogo Rosa, um dos coordenadores do centro de ginecologista do Grupo Perinatal, aponta que a escolha do tipo de tratamento a ser utilizado depende de vários fatores, mas pode ser feito clinicamente, à base de hormônios, ou com intervenção cirúrgica, em casos específicos, para a retirada de focos da doença.

“Existem diversas opções para o controle clínico hormonal. Pode-se utilizar progesterona isoladamente ou terapia hormonal combinada, como os contraceptivos orais. Usam-se também medicações hormonais injetáveis e, em casos específicos, um dispositivo intrauterino (DIU) à base de progesterona”, afirmou o ginecologista.

De acordo com o Dr. Alexandre Stadnick, também coordenador do centro de ginecologia da Perinatal, o uso de métodos contraceptivos como pílula e DIU influência também no tratamento da patologia. Principalmente no controle da dor, que o sintoma mais comum da doença.

“O ideal é que logo nos primeiros sinais de cólicas muito fortes, a jovem procure um médico. Isso pode ser o sinal de endometriose”, contou o Dr. Stadnick.

Os médicos ressaltam também, que a cirurgia é uma das opções de tratamento, mas que não deve ser generalizada. Os casos devem ser avaliados individualmente.

A escolha deve levar em conta o objetivo principal da paciente, que pode ser: melhora da dor, tratamento de infertilidade ou evitar progressão da doença para órgãos próximos, como intestino e vias urinárias.

22 nov
EXTEROGESTAÇÃO.

Você já parou pra pensar que o bebê humano é o único mamífero que não nasce pronto para viver sozinho no seu habitat natural?

Passados os 9 meses (ou, aproximadamente, as 40 semanas) de gestação no útero, o bebê nasce apenas com alguns reflexos inatos (respirar e deglutir). As outras habilidade serão aprendidas com o tempo.

A teoria da Exterogestação veio para acolher melhor esse recém-nascido nos seus três primeiros meses de vida (ou o 4º trimestre), como se a gestação durasse 12 meses. Nesse período fora do útero, seria tempo suficiente para ele se adaptar à sua nova realidade – junto à sua família.

img_6794

Embora o feto se encontre em condições adequadas para a vida fora do útero, a maturidade dos sistemas nervoso central, auditivo, digestório, imunológico e da visão só ocorrem na vida extrauterina, em decorrência de estímulos que somente acontecem no meio ambiente, principalmente no primeiro ano de vida.

Imagine que você está em um local tranquilo, quentinho, bem aconchegado… e, de repente, se encontra em outro lugar, com muitas luzes, frio. Provavelmente você vai se sentir inseguro, não é?!
Esta é a sensação do bebê ao nascer.
Ele não entende onde se encontra, está com medo. E assim que é posto no colo da mãe ele para de chorar.
Já percebeu isso?!

Pois bem, esse é o objetivo da Exterogestação, reproduzir os sons e sensações vividas pelo bebê dentro do útero – pelo menos nos três primeiros meses -, no intuito de ajudá-lo na adaptação e mantê-lo seguro.

E aqui vai duas dicas que é – na maioria das vezes – infalível:

  • Usar o sling:  O bebê chora. E muito. E nem sempre é fome. Ele só quer aconchego, sentir-se seguro. E é no colo da mãe, ou do pai, que ele encontra segurança. Nesse caso, o uso do sling é muito útil, pois descansa a coluna e os braços e dá liberdade para fazer outras coisas. Sling é vida!


img_6795

  • Som do secador: Baixe qualquer aplicativo que reproduza o som de secador (de cabelo). É um santo remédio para ajudar o bebê a se acalmar e parar de chorar.

img_6796

E, lembrem-se, colo nunca é demais! ❤️

Fonte:{http://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/listas/gravidez-nao-acaba-quando-o-bebe-nasce-conheca-a-extero-gestacao.htm}

Por Rebeka Chamyé
Psicóloga Perinatal
CRP-02/15054
Instagram: @rebekachamye
Recife/PE
rebekachamye@yahoo.com.br

25 out
Benefícios da amamentação para a mulher.

Que o leite materno é o melhor alimento para o bebê, todo mundo sabe. Há inúmeros benefícios que o ato de amamentar proporciona, como por exemplo: gera carinho, dá conforto e segurança, e ajuda no desenvolvimento do vínculo mãe-bebê.

img_8552

No entanto, o que pouco se fala são os benefícios da amamentação para a mãe-mulher. A literatura ainda é muito escassa, mas já existem estudos com achados positivos, confirmando a hipótese de que também traz muitos ganhos para a saúde da mãe.

Eis alguns deles:

  • Apresentar uma incidência menor de doenças como: certas fraturas ósseas, câncer de ovário e câncer de mama;
  • Vários estudos sobre esta temática “câncer de mama X amamentação” foram realizados, em diversos países, e ficou constatado que quanto mais prolongada a amamentação, menor é o risco de desenvolver esse tipo de doença (há uma redução estimada de 2/3 nas chances de se ter esse tipo de câncer).
  • Retorno mais rápido ao peso anterior ao da gravidez (esse é muito bom);
  • Porque, para produzir leite materno, o organismo da mulher gasta calorias, utilizando-se das reservas acumuladas. “Se a amamentação for exclusiva, ou seja, se todas as calorias que o bebê estiver consumindo forem de origem materna, a quantidade retirada da mãe será maior.”
  • Uma pesquisa realizada aqui no Brasil concluiu que, das mulheres pesquisadas, as que amamentaram de 6 a 12 meses apresentaram índices menores de massa corpórea e medidas de prega cutânea;
  • Menor sangramento no pós-parto (devido à involução uterina mais rápida, provocada pela maior liberação de ocitocina);

Contudo, algumas mulheres não conseguem (ou não querem) amamentar. Isso tem que ser respeitado e não podemos culpabiliza-las.

E, aproveitando que estamos no Outubro Rosa, previna-se fazendo seu auto-exame e seja acompanhada por um profissional.

Por Rebeka Chamyé
Psicóloga Perinatal
CRP-02/15054
Instagram: @rebekachamye
Recife/PE

{Fonte: http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5s0/v80n5s0a05}

24 set
USO DE FIO DENTAL E ENXAGUATÓRIO BUCAL EM CRIANÇAS

Olha eu aqui novamente para falar da saúde bucal das nossas crianças!!

Já conversamos sobre as escovas e cremes dentais infantis mais indicados. Agora vamos falar dos fios dentais e enxaguatórios bucais. Devemos usar nas crianças também?

Os fios dentais constituem uma peça essencial na higiene bucal, inclusive da criança. O fio dental remove a placa bacteriana que a escova não consegue alcançar, aquela que fica nas áreas interproximais, ou seja, entre os dentes.

O fio dental deve ser introduzido na higiene bucal assim que aparecerem os primeiros dentes. Quanto antes o hábito for instaurado, melhor.

Atualmente, existem modelos de fios dentais fabricados especificamente para a criançada. Alguns voltados para o consumo pelos meninos, outros para as meninas e com sabores agradáveis ao paladar infantil.  As cores e os personagens utilizados na confecção dos fios dentais também atraem a atenção das crianças. Abaixo, alguns modelos facilmente encontrados em farmácias e supermercados do Brasil.

Existem ainda fios dentais individualizados, mas que não são vendidos no Brasil, apenas através da internet ou fora do país. Eles facilitam muito a introdução do hábito de usar o fio dental nas crianças menores, porque são coloridos e tem um gosto que agrada toda criança.

É importante lembrar que o responsável é quem deve passar o fio dental entre os dentes da criança, pois ela não tem coordenação motora para essa atividade até pelo menos 8, 9 anos de idade. Se quiser, pode dar um pedaço para ela brincar ou até mesmo um fio dental individualizado, mas sempre prestando atenção para evitar acidentes.

Em relação ao enxaguatório bucal, ele só deve ser utilizado em crianças a partir dos seis anos de idade. Antes desta idade, ele é contraindicado porque a criança pode vir a deglutir a solução. Esses enxaguantes não devem ser usados todos os dias e não podem substituir a escovação. Eles atuam como coadjuvantes na higienização bucal e são indicados para algumas situações prescritas pelo odontopediatra, como nos casos em que as crianças usam aparelhos ortodônticos, realizam alguma cirurgia na cavidade bucal, crianças com alta atividade de cárie ou alto potencial cariogênico, ou seja, crianças com risco alto de desenvolver cárie.

As crianças devem utilizar os enxaguatórios bucais infantis porque estes não contém álcool. Existem várias modelos no mercado voltados para o público infantil, como são apresentados abaixo.

Existem alguns enxaguantes infantis, como o Agente Cool Blue da Listerine e o Plax Kids da Colgate, que também funcionam como evidenciadores de placa bacteriana, isto é, as regiões dentais que ainda apresentarem placa bacteriana após a escovação serão coradas na cor azul ou rosa, dependendo do tipo do enxaguante utilizado. Este artificio é muito útil para ser usado como meio de educação preventiva, especialmente nas crianças que estão começando a escovar os dentes sozinhas, por volta dos 9 anos de idade e para aquelas mais novas que insistem em escovar sozinhas apesar de não apresentarem coordenação motora para esse fim.

Nunca deixar esses produtos ao alcance das crianças, pois elas podem ingerir grande quantidade e causar intoxicação. A quantidade de metade da tampinha do frasco normalmente é suficiente, mas sempre lembrando que enxaguatório é um medicamento e deve ser prescrito pelo odontopediatra dependendo dos riscos e condições de saúde bucal do seu filho.

Dúvidas?!

IG @maira2312

www.facebook.com.br/dramairagoes

e-mail maira@spaoral.net

Consultório: (81) 2129-1644

21 set
Gestação: veja os cuidados para que a visão da mãe e do bebê não seja afetada.

img_8790

Na gestação é comum que as mulheres passem por várias mudanças, desde emocionais até psicológicas e físicas. O que muitos não sabem, entretanto, é que a visão também pode sofrer alteração. Afinal, os altos níveis de progesterona, hormônio fundamental na gravidez, podem afetar o colágeno da córnea e ocasionar distúrbios temporários ou permanentes, tais como a síndrome do olho seco, sensibilidade à luz, mudança no grau ocular, visão manchada, desdobramentos da pré-eclâmpsia e do diabetes gestacional.

O oftalmologista Bernardo Cavalcanti, do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE), explica que os hormônios sofrem alterações na gestação para que o corpo se adéque ao período. Em relação à síndrome do olho seco, o médico conta que esse problema é temporário e tende a sumir logo após o nascimento do bebê. Ele comenta ainda que as variações hormonais também podem ocasionar mudanças refrativas como o aumento da espessura e da curvatura da córnea e o aumento da curvatura do cristalino que poderão, em algumas situações, levar a um desvio refrativo, aumentando a graduação dos óculos ou lentes de contato. “Os sintomas mais frequentes para detectar a mudança são tontura e dores de cabeça”, pontua.

A chamada visão manchada ou a percepção de pontos pretos na imagem podem significar pressão alta na gravidez e exige bastante cuidado. Dr. Bernardo comenta que esse quadro requer acompanhamento médico, pois os níveis elevados de pressão sanguínea podem ocasionar o deslocamento da retina, ainda mais por conta da pré-eclâmpsia, um estado de hipertensão que ocorre normalmente depois da 20ª semana de gestação. “Os principais sintomas são a perda temporária da visão, embaço, maior sensibilidade à luz e formação de flashes”, explica, ressaltando que o diabetes gestacional é outro distúrbio que merece atenção pois, no Brasil, cerca de 7% das gestantes desenvolvem a doença. “Durante a gravidez, existe um aumento na produção do hormônio lactogênio placentário, que inibe a produção de insulina, aumentando os níveis de açúcar no sangue. Altas taxas associadas ao diabetes podem danificar os vasos sanguíneos que alimentam a retina, ocasionando na visão problemas relacionados à nitidez e ao foco”, diz Cavalcanti.

Como considerações gerais, o especialista aconselha que a gestante conte com um acompanhamento médico, incluindo visitas ao oftalmologista; tenha cautela ao usar medicamentos, pois a medicação errada pode ocasionar complicações na gravidez e opte sempre por um estilo de vida saudável. Isso também irá ajudar a prevenir que doenças prejudiquem a visão do bebê, principalmente durante o parto. A conjuntivite neonatal é uma infecção que envolve as pálpebras e a parte visível do olho. Podendo ser ligeira ou grave, essa doença pode produzir pequenas ou grandes quantidades de pus no recém-nascido, geralmente infectado durante o seu nascimento, ao atravessar o canal de parto, a partir do contato com secreções genitais maternas contaminadas.

Isso acontece porque os organismos causadores são geralmente as bactérias que vivem na vagina: a Clamydia, causa mais frequente de conjutivite neonatal, e o Streptococcus pneumoniae, o Haemophilus influenzae e a Neisseria gonorrhoeae (bactéria que causa gonorreia). A conjuntivite neonatal tem um índice de transmissão da mãe infectada para o recém-nascido de 30% a 50%. Existem três tipos de conjuntivite neonatal: aconjuntivite química, cujos sintomas aparecem horas após a administração do colírio de prata, ocasiona olho vermelho, sem secreção. A conjuntivite gonocócia, que ocorre geralmente no terceiro dia após o nascimento com quadro de secreção abundante, olhos vermelhos, edema de conjuntiva e vermelhidão das pálpebras. E a conjuntivite de inclusão (Clamydia trachomotis), que ocorre a partir do sétimo dia após o nascimento, com reação papilar na conjuntiva do tarso superior e inferior e discreta secreção das pálpebras.

Por isso, é essencial os cuidados durante o pré-natal e com a higiene da mãe. Para a conjuntivite química, que é provocada pelos sais de prata do colírio nitrato de prata, a criança fica boa em alguns dias apenas com colírios de lágrima artificial (lubrificantes). Para a conjuntivite gonocócia, é recomendado o uso da Penicilina cristalina, além de aplicação local de solução fisiológica. Para a conjuntivite neonatal não gonocócica, não há evidência de que o tratamento tópico ofereça benefício adicional e recomenda-se o uso de eritomicina.

01 jul
O que levamos na bolsa de passeio do Baby Caio.

Oi gente!

Vocês sempre me perguntam o que levo na bolsa de Caio e ultimamente as coisas são para os dois.

Quem nunca abriu a bolsa e percebeu que esqueceu algo?image

Depois que tivemos uma festinha na casa da vovó e Davi chorou porque não tinha nada pra que eu pudesse arruma-lo comecei a caprichar ainda mais na bolsa de passeio.

Um dos itens que eu nunca tinha costume de levar era o sabonete líquido, eu uso o da Baby Dove e é o mesmo para os dois.

Aconteceu que o Baby Caio fez um mega número dois e a mamãe aqui não tinha sabonete líquido na bolsa pra dar um banho no pequeno, imaginam né?

Levo também:

• Fraldas descartáveis

• Lenço umedecido Baby Dove

• Fraldas de pano

• Creme de Prevenção de Assaduras (também uso Baby Dove – não é gorduroso, espalha na pele com facilidade e também é mais fácil de retirar, sem agredir a pele do bebê)

• Remédios e termômetro

• Duas roupinhas e algo pra Davi também

• Água

• Lanchinho

• Perfume

• Pente

• Brinquedos

Quando vamos viajar levo tudo e mais um pouco ☺️ e a bolsa sempre fica organizada em casa para casos de emergência.

E vocês o que levam?

#EmbaixadoraBabyDove #ConfieNoSeuJeito

16 maio
Diário do projeto família lindoso #Parte7

Oi gente!

Vocês sempre me perguntam como eu consigo malhar com dois filhos se eu não tenho ninguém me ajudando.

Quando eu decidi começar esse projeto, precisei alinhar tudo bem certinho com o marido, já que ele é meu maior incentivador e apoio.

Escolher uma academia que tivesse espaço para os meus filhos foi o fator principal.

Lá na academia R2 tem tudo que eu preciso, Musculação, espaço para exercício funcional, aula de dança, natação para Caio, espaço Kids para Davi e estacionamento interno, já que sempre estou com eles e a segurança pesa muito nesses momentos.

Comecei treinando quatro dias por semana, sendo duas vezes de manhã, logo cedo e duas vezes a tarde, mas percebi que não estava funcionando para mim, pois o trânsito nesse horário era muito complicado e ainda tinha que deixar Davi na escola.

Foi quando resolvi mudar tudo e depois disso meus treinos começaram a ter mais resultado.

Comecei a ir mais focada, mais tranquila e com o horário próprio para o treino, sem ter com o que me preocupar.

Acho que com organização todas nós conseguimos. Nesse momento não adiantava lamentações e sim soluções.

É importante separar uma hora do seu dia para se dedicar a você. Saiba que o mundo não acaba se você se ausentar por algumas horas. Sabia que eles sobrevivem sem a gente? Sim, porém, é importante que tudo seja combinado e acordado com o companheiro.

Então vamos organizar esse tempo, correr atrás do prejuízo e começar você também essa mudança que só vem para o bem.

Qualidade de vida, disposição, felicidade ao ver os resultados e muitoooo mais saúde.

Procure pessoas com qualificação para te ajudar, é importante antes de qualquer começo você realizar os exames necessários e vai com tudo.

Vai com tudo porque você só tem a ganhar com tudo isso e sua família agradece em te ver mais feliz e disposta.

Beijos de uma nova mulher 😉

Acompanhem mais pela hastag #FamiliaLindosoVidaSaudavel

09 maio
Treino Funcional ou musculação. Projeto Familia Lindoso #Parte6

Oi gente!

Vocês sempre me perguntam quais exercícios estou fazendo depois que comecei o projeto.

Meu médico Dr Geraldo disse que eu precisava fazer musculação para o ganho da massa magra.

Relutei um pouco no começo, pois sempre fui fã do funcional, mas resolvi encarar o desafio da musculação e fui com tudo para academia R2, onde minha Personal atua.

Ela com o jeitinho todo alegre e ao mesmo tempo durina, pegando no meu pé, me fez pegar gosto pelo treino diário e hoje quando não posso ir sinto até falta.

Com isso, solicitei que ela falasse um pouco da diferença dos treinos para que vocês entendessem melhor.

Eu treino de segunda a quinta e ela mescla entre musculação e funcional. O resultado  do treinamento funcional é mais um conceito de atividade física, onde trabalhamos o movimento de uma forma mais dinâmica com uma combinação de exercícios, onde os movimentos são naturais e atuam não somente no condicionamento físico como também na correção e fortalecimento de nossa postura, por trabalhar com músculos mais profundos.

Também podemos dizer que ele melhora a força, a flexibilidade , a agilidade, o equilíbrio, mobilidade e a resistência aeróbica.

Para sua realização, usamos acessórios como bolas, hastes, cordas, TRX,cones, discos, etc.

No funcional, existe a capacidade de combinar as diferentes habilidades sem perder o padrão do movimento.

Não existem restrições para fazer essa atividade, mas é de extrema importância uma pré avaliação das dificuldades como lesões e postura, porque todo o movimento se adapta ao indivíduo.

O gasto calórico é grande durante a realização dos exercícios, onde o emagrecimento irá sempre acontecer se interligado com uma alimentação balanceada.

A musculação é uma atividade que pode ser realizada com peso livre (halteres e barras) e em máquinas. Ela é uma atividade física que visa a manutenção e o aumento da nossa massa muscular em suas diferentes formas de intensidade e execução.

A pratica da musculação pode ser feita tanto por crianças, adolescentes, adultos e idosos abalando, assim, as diferentes situação fisiológicas para que possamos prescrever o tipo de treinamento e a intensidade do mesmo que iremos utilizar para cada indivíduo em particular.

importante frisar que qualquer atividade física deve ser acompanhada por um profissional.

A musculação também é utilizada como atividade visando o emagrecimento, pois à medida que aumentamos nossa massa muscular também estamos aumentando nosso metabolismo basal em repouso.

As diferenças entre o funcional e a musculação são bem simples e faceis de entender. Vejamos:

Funcional:

➡ Trabalha o corpo para funções nas quais ele é originalmente desenhado.

Musculação:

➡ A musculação nada mais é do que um exercício estático com cargas específicas que visam aumentar a força, o recrutamento de fibras, o metabolismo basal e nossa massa magra.

Dessa forma, espero que passemos a adquirir esse hábito de exercitar-se, pois é uma Atividade fundamental e que preserva nossa saúde.

Eunascirema Amorim – Cref 826/ Pe

Educação Física (Personal Trainer)

@memem65

05 maio
Os primeiros 1000 dias do bebê.

Oi gente!

Fui convidada pelo Shopping Guararapes, para participar da palestra, que será realizada neste sábado dia 07 de maio com a Dra. Ana Escobar.

A consultora e pediatra Ana Escobar vem pela primeira vez ao Estado em comemoração ao Dia das Mães.

O encontro é voltado para todas as mamães, mas será focada nos primeiros mil dias do bebê, incluindo a vida fetal, ao longo dos nove meses de gestação.

De acordo com a médica, o período é de extrema importância para o crescimento saudável da criança, já que é nos primeiros dois anos que acontece o desenvolvimento cerebral do ser humano.

Os primeiros 1000 dias são a base essencial do futuro de um ser que potencialmente começa quando duas células se juntam.

Na conversa será falado sobre os 270 dias de gestação, depois os 365 primeiros dias após o nascimento e os 365 dias seguintes, do segundo ano.

A palestra acontece no Cinépolis, que tem capacidade limitada de 400 lugares. Ao final da palestra, será aberto um espaço também para perguntas do público à pediatra.

Zika Vírus – Por conta do aumento de casos e dos perigos dessa nova doença para as gestantes e recém nascidos, a médica dedicará um momento da palestra para o assunto.

A ideia é ajudar as mamães e futuras gestantes a se prevenirem da forma adequada e tomar os cuidados necessários.

Tema: Os primeiros 1.000 dias
Dia: 07/05 (sábado)
Horário: às 10h, no Cinépolis
Entrada: 1 lata de leite ou 1 pacote de fralda
Sujeito à lotação do espaço (400 lugares)

Espero por vocês!

25 abr
Diário do projeto família lindoso #Parte4

Um mês de Mudanças e eu já sinto os efeitos de quando saio da linha.

Esse feriado viajamos e resolvi não levar minhas saladas no pote, mas continuar focada no máximo que eu pudesse.

Mas confesso que não resisti e comi algumas coisinhas (ou coisonas, depende do ponto de vista).

O que senti com essa pulada fora da linha? Dor no estômago, já que estava bem regrada nos horários e no que comia e essa semana minha lombar travou.

Tenho certeza que além do mal jeito que peguei Caio, meu corpo já estava sentindo falta dos exercícios que eu vinha fazendo diariamente e simplesmente parei, porque estava viajando.

Vamos começar tudo de novo e com mais foco do que nunca, já que temos uma semana de furadas pra colocar em dia.

Agora que Caio já está comendo alimentos sólidos, vou fazer um detox pra limpar tudo por dentro e começar uma nova fase.

Consegui emagrecer e agora quero ganhar massa magra pra deixar o corpitcho Mara.

Estou empolgada e quero ver vocês empolgadas também.

Quando a gente não quer qualquer desculpa basta né? Então seja mais forte que suas desculpas e vamos simbora recuperar o corpitcho.

Equipe do projeto:

@santevieclinica
@dr.geraldoamorim
@jerluce_ferraz.nutri
@thaislimagastrofit
@portaaportaorganicos
@r2academia
@memem65