Benefícios da amamentação para a mulher.

25 out
Benefícios da amamentação para a mulher.

Que o leite materno é o melhor alimento para o bebê, todo mundo sabe. Há inúmeros benefícios que o ato de amamentar proporciona, como por exemplo: gera carinho, dá conforto e segurança, e ajuda no desenvolvimento do vínculo mãe-bebê.

img_8552

No entanto, o que pouco se fala são os benefícios da amamentação para a mãe-mulher. A literatura ainda é muito escassa, mas já existem estudos com achados positivos, confirmando a hipótese de que também traz muitos ganhos para a saúde da mãe.

Eis alguns deles:

  • Apresentar uma incidência menor de doenças como: certas fraturas ósseas, câncer de ovário e câncer de mama;
  • Vários estudos sobre esta temática “câncer de mama X amamentação” foram realizados, em diversos países, e ficou constatado que quanto mais prolongada a amamentação, menor é o risco de desenvolver esse tipo de doença (há uma redução estimada de 2/3 nas chances de se ter esse tipo de câncer).
  • Retorno mais rápido ao peso anterior ao da gravidez (esse é muito bom);
  • Porque, para produzir leite materno, o organismo da mulher gasta calorias, utilizando-se das reservas acumuladas. “Se a amamentação for exclusiva, ou seja, se todas as calorias que o bebê estiver consumindo forem de origem materna, a quantidade retirada da mãe será maior.”
  • Uma pesquisa realizada aqui no Brasil concluiu que, das mulheres pesquisadas, as que amamentaram de 6 a 12 meses apresentaram índices menores de massa corpórea e medidas de prega cutânea;
  • Menor sangramento no pós-parto (devido à involução uterina mais rápida, provocada pela maior liberação de ocitocina);

Contudo, algumas mulheres não conseguem (ou não querem) amamentar. Isso tem que ser respeitado e não podemos culpabiliza-las.

E, aproveitando que estamos no Outubro Rosa, previna-se fazendo seu auto-exame e seja acompanhada por um profissional.

Por Rebeka Chamyé
Psicóloga Perinatal
CRP-02/15054
Instagram: @rebekachamye
Recife/PE

{Fonte: http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5s0/v80n5s0a05}

24 set
USO DE FIO DENTAL E ENXAGUATÓRIO BUCAL EM CRIANÇAS

Olha eu aqui novamente para falar da saúde bucal das nossas crianças!!

Já conversamos sobre as escovas e cremes dentais infantis mais indicados. Agora vamos falar dos fios dentais e enxaguatórios bucais. Devemos usar nas crianças também?

Os fios dentais constituem uma peça essencial na higiene bucal, inclusive da criança. O fio dental remove a placa bacteriana que a escova não consegue alcançar, aquela que fica nas áreas interproximais, ou seja, entre os dentes.

O fio dental deve ser introduzido na higiene bucal assim que aparecerem os primeiros dentes. Quanto antes o hábito for instaurado, melhor.

Atualmente, existem modelos de fios dentais fabricados especificamente para a criançada. Alguns voltados para o consumo pelos meninos, outros para as meninas e com sabores agradáveis ao paladar infantil.  As cores e os personagens utilizados na confecção dos fios dentais também atraem a atenção das crianças. Abaixo, alguns modelos facilmente encontrados em farmácias e supermercados do Brasil.

Existem ainda fios dentais individualizados, mas que não são vendidos no Brasil, apenas através da internet ou fora do país. Eles facilitam muito a introdução do hábito de usar o fio dental nas crianças menores, porque são coloridos e tem um gosto que agrada toda criança.

É importante lembrar que o responsável é quem deve passar o fio dental entre os dentes da criança, pois ela não tem coordenação motora para essa atividade até pelo menos 8, 9 anos de idade. Se quiser, pode dar um pedaço para ela brincar ou até mesmo um fio dental individualizado, mas sempre prestando atenção para evitar acidentes.

Em relação ao enxaguatório bucal, ele só deve ser utilizado em crianças a partir dos seis anos de idade. Antes desta idade, ele é contraindicado porque a criança pode vir a deglutir a solução. Esses enxaguantes não devem ser usados todos os dias e não podem substituir a escovação. Eles atuam como coadjuvantes na higienização bucal e são indicados para algumas situações prescritas pelo odontopediatra, como nos casos em que as crianças usam aparelhos ortodônticos, realizam alguma cirurgia na cavidade bucal, crianças com alta atividade de cárie ou alto potencial cariogênico, ou seja, crianças com risco alto de desenvolver cárie.

As crianças devem utilizar os enxaguatórios bucais infantis porque estes não contém álcool. Existem várias modelos no mercado voltados para o público infantil, como são apresentados abaixo.

Existem alguns enxaguantes infantis, como o Agente Cool Blue da Listerine e o Plax Kids da Colgate, que também funcionam como evidenciadores de placa bacteriana, isto é, as regiões dentais que ainda apresentarem placa bacteriana após a escovação serão coradas na cor azul ou rosa, dependendo do tipo do enxaguante utilizado. Este artificio é muito útil para ser usado como meio de educação preventiva, especialmente nas crianças que estão começando a escovar os dentes sozinhas, por volta dos 9 anos de idade e para aquelas mais novas que insistem em escovar sozinhas apesar de não apresentarem coordenação motora para esse fim.

Nunca deixar esses produtos ao alcance das crianças, pois elas podem ingerir grande quantidade e causar intoxicação. A quantidade de metade da tampinha do frasco normalmente é suficiente, mas sempre lembrando que enxaguatório é um medicamento e deve ser prescrito pelo odontopediatra dependendo dos riscos e condições de saúde bucal do seu filho.

Dúvidas?!

IG @maira2312

www.facebook.com.br/dramairagoes

e-mail maira@spaoral.net

Consultório: (81) 2129-1644

21 set
Gestação: veja os cuidados para que a visão da mãe e do bebê não seja afetada.

img_8790

Na gestação é comum que as mulheres passem por várias mudanças, desde emocionais até psicológicas e físicas. O que muitos não sabem, entretanto, é que a visão também pode sofrer alteração. Afinal, os altos níveis de progesterona, hormônio fundamental na gravidez, podem afetar o colágeno da córnea e ocasionar distúrbios temporários ou permanentes, tais como a síndrome do olho seco, sensibilidade à luz, mudança no grau ocular, visão manchada, desdobramentos da pré-eclâmpsia e do diabetes gestacional.

O oftalmologista Bernardo Cavalcanti, do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE), explica que os hormônios sofrem alterações na gestação para que o corpo se adéque ao período. Em relação à síndrome do olho seco, o médico conta que esse problema é temporário e tende a sumir logo após o nascimento do bebê. Ele comenta ainda que as variações hormonais também podem ocasionar mudanças refrativas como o aumento da espessura e da curvatura da córnea e o aumento da curvatura do cristalino que poderão, em algumas situações, levar a um desvio refrativo, aumentando a graduação dos óculos ou lentes de contato. “Os sintomas mais frequentes para detectar a mudança são tontura e dores de cabeça”, pontua.

A chamada visão manchada ou a percepção de pontos pretos na imagem podem significar pressão alta na gravidez e exige bastante cuidado. Dr. Bernardo comenta que esse quadro requer acompanhamento médico, pois os níveis elevados de pressão sanguínea podem ocasionar o deslocamento da retina, ainda mais por conta da pré-eclâmpsia, um estado de hipertensão que ocorre normalmente depois da 20ª semana de gestação. “Os principais sintomas são a perda temporária da visão, embaço, maior sensibilidade à luz e formação de flashes”, explica, ressaltando que o diabetes gestacional é outro distúrbio que merece atenção pois, no Brasil, cerca de 7% das gestantes desenvolvem a doença. “Durante a gravidez, existe um aumento na produção do hormônio lactogênio placentário, que inibe a produção de insulina, aumentando os níveis de açúcar no sangue. Altas taxas associadas ao diabetes podem danificar os vasos sanguíneos que alimentam a retina, ocasionando na visão problemas relacionados à nitidez e ao foco”, diz Cavalcanti.

Como considerações gerais, o especialista aconselha que a gestante conte com um acompanhamento médico, incluindo visitas ao oftalmologista; tenha cautela ao usar medicamentos, pois a medicação errada pode ocasionar complicações na gravidez e opte sempre por um estilo de vida saudável. Isso também irá ajudar a prevenir que doenças prejudiquem a visão do bebê, principalmente durante o parto. A conjuntivite neonatal é uma infecção que envolve as pálpebras e a parte visível do olho. Podendo ser ligeira ou grave, essa doença pode produzir pequenas ou grandes quantidades de pus no recém-nascido, geralmente infectado durante o seu nascimento, ao atravessar o canal de parto, a partir do contato com secreções genitais maternas contaminadas.

Isso acontece porque os organismos causadores são geralmente as bactérias que vivem na vagina: a Clamydia, causa mais frequente de conjutivite neonatal, e o Streptococcus pneumoniae, o Haemophilus influenzae e a Neisseria gonorrhoeae (bactéria que causa gonorreia). A conjuntivite neonatal tem um índice de transmissão da mãe infectada para o recém-nascido de 30% a 50%. Existem três tipos de conjuntivite neonatal: aconjuntivite química, cujos sintomas aparecem horas após a administração do colírio de prata, ocasiona olho vermelho, sem secreção. A conjuntivite gonocócia, que ocorre geralmente no terceiro dia após o nascimento com quadro de secreção abundante, olhos vermelhos, edema de conjuntiva e vermelhidão das pálpebras. E a conjuntivite de inclusão (Clamydia trachomotis), que ocorre a partir do sétimo dia após o nascimento, com reação papilar na conjuntiva do tarso superior e inferior e discreta secreção das pálpebras.

Por isso, é essencial os cuidados durante o pré-natal e com a higiene da mãe. Para a conjuntivite química, que é provocada pelos sais de prata do colírio nitrato de prata, a criança fica boa em alguns dias apenas com colírios de lágrima artificial (lubrificantes). Para a conjuntivite gonocócia, é recomendado o uso da Penicilina cristalina, além de aplicação local de solução fisiológica. Para a conjuntivite neonatal não gonocócica, não há evidência de que o tratamento tópico ofereça benefício adicional e recomenda-se o uso de eritomicina.

05 maio
Os primeiros 1000 dias do bebê.

Oi gente!

Fui convidada pelo Shopping Guararapes, para participar da palestra, que será realizada neste sábado dia 07 de maio com a Dra. Ana Escobar.

A consultora e pediatra Ana Escobar vem pela primeira vez ao Estado em comemoração ao Dia das Mães.

O encontro é voltado para todas as mamães, mas será focada nos primeiros mil dias do bebê, incluindo a vida fetal, ao longo dos nove meses de gestação.

De acordo com a médica, o período é de extrema importância para o crescimento saudável da criança, já que é nos primeiros dois anos que acontece o desenvolvimento cerebral do ser humano.

Os primeiros 1000 dias são a base essencial do futuro de um ser que potencialmente começa quando duas células se juntam.

Na conversa será falado sobre os 270 dias de gestação, depois os 365 primeiros dias após o nascimento e os 365 dias seguintes, do segundo ano.

A palestra acontece no Cinépolis, que tem capacidade limitada de 400 lugares. Ao final da palestra, será aberto um espaço também para perguntas do público à pediatra.

Zika Vírus – Por conta do aumento de casos e dos perigos dessa nova doença para as gestantes e recém nascidos, a médica dedicará um momento da palestra para o assunto.

A ideia é ajudar as mamães e futuras gestantes a se prevenirem da forma adequada e tomar os cuidados necessários.

Tema: Os primeiros 1.000 dias
Dia: 07/05 (sábado)
Horário: às 10h, no Cinépolis
Entrada: 1 lata de leite ou 1 pacote de fralda
Sujeito à lotação do espaço (400 lugares)

Espero por vocês!

14 mar
Diário do Projeto Família Lindoso #Parte1

Oi gente!

Muitas de vocês que me seguem pelo SnapChat sabe da minha luta com a cozinha.

Não é que eu não goste dela, mas o fato de não saber cozinhar me faz não querer muita conversa com ela.

Então eu procurei a Thais Lima, gastrônoma Fit pra me ajudar com essa missão.

Ela logo se empolgou em pegar alguém que não sabe de nada e transformá-la, mas logo me disse que eu precisava procurar uma nutri.

Ela também faz parte da Clínica Santevie, que já é parceria do blog faz um bom tempo e junto com Clarissa responsável pela clínica me lançaram o desafio de não só aprender a cozinhar e sim mudar toda a minha vida. E mudar para melhor.

Foi aí que lancei o projeto #FamiliaLindosoVidaSaudavel porque quero inserir tanto Diogo que já tem costumes bem saudáveis, como Davi e Caio que está começando a introdução alimentar dele.

As primeiras mudanças foram pequenas, tirei o chocolate, mudei o leite para integral e em pó, comecei a comer de 3/3h e fiz o mesmo com o pequeno.

Fui na consulta com a nutricionista Jerluce e com Dr Geraldo Amorim para fazer todos os exames necessários para começar Qualquer coisa

Fiz uma avaliação com Clarissa que vai cuidar da parte estética já que também fiquei com flacidez, gordura localizada e algumas estrias no corpo.

Isso tudo precisa estar alinhado com os exercícios físicos, um dos maiores desafios também já que nunca fui fã de academia e com a rotina mais agitada de uma mãe é que não conseguia.

Foi aí que entrou a academia R2 que tem um espaço Kids que me ajuda muitoooo com Davi e atividades para mim, Diogo e para eles também.

Com a academia conheci a Personal Memem (não posso contar o nome dela de verdade 😜) ela tem uma viber super pra cima, um corpo de inspirar qualquer pessoa principalmente com a idade dela.

Estou treinando 4 vezes na semana e vou começar a aprender a nadar (sim, eu não sei nadar) fora isso vou fazer algumas aulas de dança e Power Ballet.

A organização é um dos passos principais para conseguir tudo certinho. O apoio de Diogo também é fundamental já que ele também fica com Caio nesses momentos, então fazemos o revezamento de filhos 😂

Tenho alguns objetivos que vou contando pra vocês no meu #DiarioDoProjeto que vou colocar aqui no blog todas as segundas e fora isso vocês podem acompanhar pela nossa hastag #FamiliaLindosoVidaSaudavel

Espero poder empolgar muitas mamães também, mas não esqueçam que vocês precisam procurar uma equipe médica para antes de tudo fazer um bom checkup.

Quem for de recife pode também procurar a Santevie e perguntar sobre o desconto das seguidoras da turmadatiamari.

Beijos e até o próximo.

Equipe de apoio:

@santevieclinica
@dr.geraldoamorim
@jerluce_ferraz.nutri
@thaislimagastrofit
@portaaportaorganicos
@r2academia
@memem65
@farmaciaroval

01 fev
SAÚDE E SEGURANÇA – COMO MANTER O AEDES LONGE DA SUA FAMÍLIA.

No último dia 08 de Janeiro, ocorreu o Webinar (seminário online) promovido pelas marcas SBP e REPELEX, que buscou auxiliar a população em geral na luta contra o mosquito Aedes aegypti. Para responder as principais perguntas enviadas pelo público, foram convidados o infectologista Jean Gorinchteyn e a dermatologista Adriana Salgado.

O bate papo durou 1h20 e trouxe muitas informações interessantes. Aqui estão as melhores dicas e informações dadas pelos profissionais. O combate ao mosquito também é uma responsabilidade nossa e para que todo esforço realmente faça sentido, se proteger da forma correta é PRECISO.

Você sabe qual é a diferença entre Dengue, Zika e Chikungunya?
Todas as doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, mas os sintomas são diferentes.

A dengue, dentre as três é a doença mais conhecida e presente no Brasil. Todos os anos, a população luta contra a epidemia do vírus. Os principais sintomas da doença são: febre alta, dores no corpo, dores nos olhos, prostração e coceira. Nos casos graves, o doente também pode ter sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal, vômitos persistentes, sonolência, irritabilidade, hipotensão e tontura. Em casos extremos, a dengue pode até matar. Infelizmente, não existem remédios contra a dengue.

Chikungunya é uma doença que teve os seus primeiros casos detectados no Brasil no ano de 2014. Antes disso, os infectados contraiam a doença em viagens ao exterior. Os principais sintomas são: dor nas articulações de pés e mãos, febre alta (acima de 39 graus), dor de cabeça, dor nos músculos e manchas vermelhas na pele. Alguns infectados não chegam a desenvolver sintomas e de acordo com o Ministério da Saúde, as mortes são raras.

Zika Vírus também é uma doença nova no Brasil, mas os seus sintomas são bem mais leves do que os da dengue e da Chikungunya. Algumas pessoas apresentam um quadro que lembra alergia, outras apresentam febre, dores e manchas no corpo. Quem é infectado pelo zika também pode apresentar diarreia e sinais de conjuntivite. No final de 2015, o caso de bebês nascidos com microcefalia, principalmente na região Nordeste, deixaram os médicos em alerta! Foi descoberto então que os bebês das grávidas que são infectadas com o Zika Vírus no primeiro trimestre estão suscetíveis à microcefalia e após esse período aumentam as chances de má formação neurológica no feto/bebê.

A microcefalia só acontece quando a mulher GRÁVIDA é contaminada ainda nos primeiros meses da geração do feto, mais precisamente no final do primeiro trimestre ou no começo do segundo trimestre. Ainda não se tem informações sobre o que acontece com a formação do feto quando a mãe é infectada em outro período gestacional, mas já se sabe que podem ocorrer atrasos no desenvolvimento neuro psicomotor, que podem ser apresentados em qualquer período da vida humana (fase infantil a adulta).

Para combater o mosquito Aedes aegypti você precisa saber mais sobre ele.

Já se sabe que mosquito Aedes aegypti adora ambientes úmidos, escuros e que se prolifera em ambientes com água parada. Em poucos dias, uma pequena poça de água é o suficiente para transformar aquele ambiente em um espaço próprio para crescimento de novos mosquitos. O mais interessante é que estudos apontam que 80% dos focos dos mosquitos estão dento de casa, então precisamos fazer a nossa parte no combate a essa doença.

O mosquito não se encontra apenas em áreas de baixo saneamento básico, nem em locais de baixa renda da sociedade. Quem mora em edifícios, andares altos, costumam se sentir seguro em relação a possíveis doenças causadas pelo mosquito Aedes, mas essa é uma falsa sensação de segurança que pode estar auxiliando na proliferação do mosquito.

Sim, o mosquito pode subir na sua casa através do elevador ou da escadaria do seu prédio. Assim como pode voar através dos andares de um edifício, basta ter um vizinho que não tome os devidos cuidados e crie ambientes favoráveis para a proliferação do mosquito.

Vale lembrar que nem todo mosquito Aedes é um portador ou contaminador da Dengue, Zika ou Chikungunya. Para que ele seja um transmissor é preciso que o mosquito TENHA os vírus.

Listamos alguns cuidados necessários que você deve ter para manter o mosquisto longe do seu lar!

– Não deixar água parada;
– Caixas d’água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e VEDADAS;
– As piscinas devem ter tratamento de água com cloro;
– Garrafas ou outros recipientes semelhantes (latas, vasilhas, copos) devem ser armazenados em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo;
– Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada;
– Se a sua geladeira não é frostfree, cuidado com o reservatório que fica atrás dela, já se sabe que esse é um ambiente úmido e escuro, propício para criadouros de Aedes.

Passo a passo para uma PREVENÇÃO eficaz

1 – Use o inseticida nos ambientes

O inseticida tem o objetivo de matar os mosquitinhos e larvas que estão se proliferando naquele local. Como usar de maneira eficaz e segura? Entre no ambiente, jogue o inseticida, mantenha o ambiente fechado por 20 a 30 minutos, e só depois daquele período que você poderá voltar a circular no espaço.

2 – Invista em repelente de tomada

O repelente de tomada tem o objetivo de afastar o mosquito que irá adentrar o ambiente. E caso você esteja se perguntando se podemos usar repelente de tomada em ambientes com crianças, a resposta é SIM, mas é importante lembrar que devemos manter a cabeça de qualquer pessoa afastada a uma distância de 2 metros daquela tomada.

3 – Use roupas claras

Vai sair de casa? Use e abuse de roupas claras e de preferência de manga comprida. Já se sabe que o mosquito é atraído por cores e ambientes escuros. Usando roupas claras você naturalmente vai ajudar a afastar o mosquito de você. Não é uma garantia, mas aliada às demais medidas de prevenção, ajuda bastante. Então, vai sair de casa com o bebê? Está gestante? Vale a pena investir nesta dica!

4- Invista em telas de proteção
As telas de proteção auxiliam na proteção do bebê, crianças e gestantes, podendo ser colocadas em berços, nos

carrinhos para passear na praia, no parque e nas janelas da sua casa. É uma forma barata e eficaz de combater o mosquito e futuras picadas!

5– Repelentes
A forma mais conhecida e comum de prevenção contra o mosquisto é o uso de repelente. Com tantas informações nas redes sociais, surgiram muitas dúvidas de como devemos utilizar, quem pode usar ou tempo de eficácia do produto. As principais dúvidas sobre o assunto também foram abordadas no Webinar de SBP e Repelex, e aqui você vai poder se informar sobre a forma mais segura de continuar protegendo você e os seus filhos.

TODOS os repelentes cosméticos que estão disponíveis no mercado são armas importantes para que possamos nos proteger, mas é importante que a sua escolha tenha no rótulo a certificação da ANVISA, pois é ela que garante que o repelente foi testado e aprovado baseado em estudos científicos. O que pode mudar de um repelente para outro é o tempo de proteção do produto.

De acordo com os especialistas, repelentes certificados pela ANVISA são seguros e podem ser usado até três vezes ao dia, como os que possuem na sua formulação a presença de Icaridina ou DEET (sigla para dietiltoluamida). Cada repelente contém no rótulo a orientação do fabricante para uso, que deve ser levado em consideração!

As fórmulas caseiras não foram certificadas pela ANVISA e não tiveram a sua eficácia testada, por isso é preciso ter muito cuidado! Dê preferência às fórmulas com selo da ANVISA, que garantem o tempo de eficácia baseado em testes e estudos.

Já se sabe que as gestantes podem usar todos os repelentes que estão disponíveis no mercado que tenham o selo da ANVISA, mas sempre de olho no rótulo, tempo de duração e quantas vezes pode repetir o uso por dia.

Prevenir e combater a dengue, zika e Chikungunya é um dever de toda a sociedade. Infelizmente, muitas mães, principalmente no Nordeste, já sabem dos riscos que o Zika pode causar em uma gestante e no bebê em formação. Podemos, juntos, combater o Aedes aegypti.

Se você quiser assistir a íntegra do Webinar e ter ainda mais informações sobre o assunto, confira de forma gratuita o bate papo que aconteceu no dia 8/1, acessando a vidioteca no link http://itv.netpoint.com.br/juntoscontraoaedes.

E vocês o que estão fazendo para se protegerem?

Beijos Tia Mari.

28 jul
Psicoembriologia. Conversando com o bebê

IMG_2522É normal toda mulher quando se vê grávida se pegar conversando com a barriga, será que as futuras mamães já pararam para pensar na possibilidade que seus bebês estão realmente escutando, entendendo e desenvolvendo psiquicamente através do que lhe é ouvido?
Existe uma técnica chamada Psicoembriologia que foi criada pelo professor e psicanalista Wilson Ribeiro por volta de 1960, que tem o objetivo de “explicar” as emoções da mamãe para o bebê, afinal a mãe entende o que sente e o porque sente, o feto ainda não..Ele está aprendendo tudo!

Psicoembriologia faz o acompanhamento psiquici do feto, ensina a mãe a expressar seus sentimentos para o bebê,  há também um tratamento psicológico da mãe durante todo o processo gestacional. O pai também pode participar do tratamento, o que é ótimo para a família no geral.

Os atendimentos podem ser feitos no consultório do profissional ou até mesmo via vídeo conferência (Skype, por exemplo). Durante o processo são aplicadas as técnicas de visualização criativa para relaxamento e contato com o bebê. Porém, além das técnicas aplicadas pelo profissional, você mamãe, pode e deve conversar diariamente com o seu filho desde quando descobrir queo coração dele bate junto ao seu.
Explicar as emoções é muito importante para o desenvolvimento e segurança do bebê.

As escolhas de todos nós vêm do que nos foi apresentado, e através da fala, podemos apresentar tudo de melhor que esse indivíduo pode vir a ser. Para isso não é necessário aplicar nenhuma técnica, basta você falar com o seu bebê e ele poderá fazer as suas próprias escolhas.

A criança psicoembriolizada torna-se entendedora do seu mundo interior e também do mundo exterior. Será uma criança mais segura de si e no futuro um adulto consciente.

Eu tenho um vídeo no qual explico melhor a técnica na prática, caso tenha interesse deixarei o link:
https://www.youtube.com/watch?v=ylo3WwMttHE

Um beijo da Mandi

24 set
Autoestima na gravidez.

Blog_Depyl_Gravidas

Mudanças hormonais, roupas apertadas, aumento de peso, sonolência, seios doloridos, dores nas costas. Essas são algumas das mudança que ocorrem ao longo da gestação. Dentre tantas preocupações acerca da gravidez, o fator físico é certamente uma das maiores.

No passado, a expectativa durante gravidez era apenas com a saúde do bebê e da mãe. Atualmente, muitas mulheres passam pela gravidez com a sensação de que precisam vencer uma guerra. Chama atenção principalmente o medo de não retornar ao peso anterior.

Esse processo resulta em  gravidas fazendo dietas restritas e se exercitando como se não houvesse outra vida dentro de si. O fundamental é a consciência de que o período da gravidez necessita não só de nutrientes, mas também do estado de espírito da mãe.

Como educadora física e trabalho diário com o publico feminino, reforço a importância da mulher se posicionar e se conscientizar sobre isso. Evite comparações! Você não precisa ter sua barriga chapada logo após o parto! Preocupe-se com o momento mais especial que esta vivendo e que passa rápido.

É possível chegar até o ultimo mês de gravidez de forma saudável e com o sentimento de que todas as mudanças estão ocorrendo pelo melhor motivo do mundo, a vinda do seu filho. Uma vida que precisa de uma mãe que saiba lidar com mudanças, e sobretudo equilíbrio.

Bia Faé – Personal Trainer – @personalsaudemulher

22 set
Por que eles tem que crescer?

“É que crescer custa um tanto de paciência. Na verdade, bem muita. Chega um momento que até nossas contradições são coerentes”.

(Vanessa Leonard)

Crescer exige mesmo paciência. Paciência para ensinar, estimular, acompanhar, preparar-se para o próximo passo. Mas não é “só” isso. Exige também respeito ao ritmo e tempo de cada um. Exige parceria, porque é preciso estar junto; é preciso crescer junto.

Na medida em que ensinamos e estimulamos uma criança, aprendemos outro monte de coisas com ela e somos estimulados também a crescer e desenvolver. Quando uma criança completa quatro anos, seus pais tem que crescer junto para aprenderem a ser pai/mãe daquela menina de (agora) quatro anos. O aprendizado e crescimento são constantes nessa longa caminhada tão mágica quanto desafiadora!

Crescer implica a cada dia ter mais autonomia para ir em frente, fazer, pensar, escolher, decidir, ser. E esse caminho só é possível quando se acredita nas possibilidades (nossas e da criança) para tal. Mas nem sempre é fácil como parece.

Muitos pais têm dificuldades de perceber, reconhecer e aceitar o crescimento dos filhos e investem na ideia de que terão maior segurança estando sob suas asas, protegendo-os de encarar a vida a partir de suas próprias experiências e vivências. E aí tomam a iniciativa de tudo. Começam a fazer PELA criança, em vez de fazer COM a criança ou de orientá-la e supervisioná-la. Fecham os olhos para os sinais que os pequenos dão de que já podem dar o próximo passo. E a criança começa a crescer amarrada. Com freio de mão puxado.

Tudo isso atende a uma necessidade que não é da criança, mas dos próprios pais. O medo de que a criança cresça é deles. Medo de perder o controle, talvez. Ou de ‘daqui a pouco’ não ter mais a sensação tão gostosa de estar com o pequeno no colo. Medo do desconhecido – daquilo para o qual se tem milhões de perguntas e nenhuma resposta pronta, mas que precisa ser vivido.

Veja bem, a ideia não é pisar no acelerador. Do ponto de vista emocional, isto também não é saudável. O que propomos aqui é que possamos caminhar de forma respeitosa, paciente e disponível para ensiná-los e estimulá-los nesse crescimento, não esquecendo de estarmos atentos aos sinais dos pequenos (que vêm através de falas, comportamentos, expressões corporais…), para que consigamos nos atualizar junto com eles. Por vezes, eles mesmos tiram a fralda sozinhos ou pedem para fazer xixi igual ao papai. Ou querem experimentar tomar banho sozinhos. Pode ser que não queiram acordar para tomar o gagau da madrugada. Ou tentem amarrar o próprio tênis, do jeito deles mesmo. E se não ouvirmos as nossas crianças e não tivermos uma postura permissiva para que isso aconteça e se desenrole, podemos dificultar esse processo natural e necessário.

É verdade que poucas coisas são tão gostosas quanto ter os filhos no colo e ser “tudo” na vida de alguém. Mas tão prazeroso quanto isso é perceber que se conseguiu prepara-los para enfrentar o que vem pela frente. No curso natural (e saudável) do desenvolvimento, as crianças vão crescendo, enriquecendo sua vida com experiências próprias, fazem amizades, criam novas referências (e mantêm algumas antigas), fazem suas próprias escolhas e assim vão se descobrindo e tecendo a vida. Nesse caminho, outras coisas e pessoas vão se tornando especiais e os pais vão deixando de ser o “tudo”, mas nunca de ser muito, muito importantes! E essa é uma demonstração que a vida lhes dá de que foram no caminho certo. Funcionou, porque eles aprenderam a construir o que é deles. E os pais podem, de outra forma, continuar juntos, parceiros na vida.

Quando os sinais aparecem, a gente precisa ser veículo para ajudar a conduzir ao próximo passo. Precisa dar sinal verde para a vida acontecer naturalmente. Precisa crer. E deixar ser. Para poder crescer.

Marina Bezerra Férrer

Psicóloga clínica e integrante do @nucleocriad

 

27 ago
Davi e sua volta ao consultório de Tia Maíra.

https://www.youtube.com/watch?v=1ZKcQkGCxKA

O Davi tem uma mordida cruzada anterior, ou seja, os dentes da frente superiores encaixam por trás dos dentes inferiores. No entanto, o certo é ao contrário.
Esse tipo de mordida pode ter origem dentária (quando o problema está apenas na inclinação dos dentes) ou esquelética (quando problema está nos ossos : Deficiência de maxila ou excesso de mandíbula).
 
Ao exame clínico, pude observar no Davi um pouco dos dois. Existe uma inclinação dos dentes superiores para trás, mas também há uma deficiência de maxila, como se ele tivesse pouca maçã do rosto. Então foi solicitado uma documentação ortodontica que é composta por fotos, radiografias e outros documentos para ser avaliado a tendência de crescimento dos ossos da sua face e assim podermos escolher o melhor tratamento para ele.
 
Vamos optar por iniciar logo o tratamento porque a mordida cruzada deve ser tratada o mais cedo possível. O tratamento vai ser do tipo ortopédico, pois ocorre durante o crescimento crânio facial o que favorece o tratamento e minimiza os problemas de oclusão no futuro, mas que não impede que ele vá usar aparelho ortodontico anos depois.
 
Assim que a documentação ficar pronta, devem voltar ao consultório para saber qual tipo de aparelho ele vai usar. Mas ele já escolheu a cor: azul e com a figurinha do homem de ferro!
 
Dra. Maíra Goes.