26 dez
BRINQUEDOTECA EM CASA.

Tenho me deparado constantemente com a solicitação de clientes para projetar brinquedotecas em casa. Cheguei à conclusão que todas (ou quase todas) as mamães sonham em ter esse ambiente no sentido mais amplo! Querem, antes de qualquer coisa, um local onde ospequenos possam brincar à vontade e num passe de mágica, tudo ficar bem arrumadinho.

A Brinquedoteca é um espaço que visa estimular crianças e jovens a brincarem livremente,um espaço alegre, colorido, diferente, onde eles soltam a sua imaginação, sem medo de serem punidos.O bacana de ter uma brinquedoteca em casa é que os papais de plantão poderão acompanhar o desenvolvimento dos pequenos através de observações no dia-a-dia.

Selecionei alguns projetos legais de brinquedoteca. Desde o mais simples até o mais rebuscado para inspirar os leitores que estejam sentindo essa necessidade atualmente com os pequenos em casa!

brinquedoteca

Sala de Televisão e brinquedoteca juntos. Esta sala íntima foi adaptada para atender as necessidades do cliente! Com uma estante simples e objetos modernos e coloridos.

brinquedoteca

Nichos sempre são uma ótima solução para guardar todos os brinquedos. Neste projeto, foram utilizados cestos plásticos coloridos, deixando o móvel branquinho, bem mais divertido!

Ousem em tapetes e almofadas, tudo para deixar o ambiente mais aconchegante possível. O interessante é tentar concentrar a bagunça num só lugar!

brinquedoteca

Papéis de parede bem coloridos ajudam bastante! Outra grande dica é projetar uma grande lousa! Ali ficará delimitado o espaço para as crianças soltarem a criatividade nas paredes. Importante frisar bem para os pimpolhos que aquela é a única parede que ele poderá riscar, caso contrário, sua casa se tornará um grande quadro negro!

brinquedoteca

Lembrem que a parte de mobiliário deverá seguir um padrão de altura mais baixa que o convencional para atender as necessidades dos pequenos. Muito cuidado também com mobiliários que apresentem quina viva. Esse é para ser um ambiente livre de preocupação! Podem ousar bastante nas formas e nas grandes aberturas que possibilitem a iluminação e ventilação natural. O bacana desse tipo de projeto é a versatilidade e a possibilidade de criar um ambiente convidativo sem gastar muito dinheiro!

COLABORADORA: Mariana Carvalho –  Arquitetura     Email: contato@marianacarvalho.arq.br

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
21 dez
Porta guardanapo – Faça você mesma.

Mês de dezembro chegou e com ele muitas comemorações, então que tal um passo a passo de como fazer um porta guardanapo que também serve como porta talher para decorar de uma maneira simples e bonita sua mesa de jantar?

Muitas de vocês viram no meu instagram (@turmadatiamari) que recebi aqui em casa meus amigos, como era o “abre” da casa da #tiamari fiz um jantarzinho intimo.

image

Dei uma passada na minha lojinha do coração a Vivelafette e tive todo o auxilio das meninas para que tudo saísse como gostaria.

Ao postar a decoração falei que iria postar o passo a passo e a aceitação foi incrível que recebi varias mensagens na Fanpage solicitando e me cobrando também (já que ainda não havia postado).

Então, segue o passo a passo enviado pela minha amiga, Joanna, responsável pela Vivalafette.

Material: Feltro, linha de costura, fita de gurgurão.

1- Cortar um retangulo com 13cm x 0,9cm parte da frente.

image

2- Cortar um retângulo com 14 cm x 0,9 para a parte de trás (1cm a mais para transpasse)

image

3- Cortar as fitas de gurgurão pra fazer a costura.

image

4- Aplicar o laço de gurgurão, botão ou qualquer outro enfeite para arremate.

image

E aí? Não fica lindo? Então não deixem de curtir e compartilhar com as amigas.

image

image

Beijos.

Tia Mari.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
09 dez
It. Bazar.

image

O Natal se aproxima e a temporada dos presentes começa! Pensando em oferecer opções com descontos, as empresárias Ananda Urias, da loja virtual infantil Mamãe Mandou Dizer, e Manuela Gentil, do e-commerce Presentes Creativos, armam bazar nos dias 09 e 10 de dezembro, das 16h às 21h, no Buffet Estripulia, que cedeu o espaço e oferece o menu à venda na ocasião. O It Bazar reúne uma diversidade de produtos: tem roupas para adultos e crianças, acessórios, objetos decorativos e guloseimas. Tudo à disposição dos visitantes com promoções variadas – de 30% a 80% de desconto, dependendo das lojas. Para compor a decoração, o evento conta com a parceria da BonParti, que monta mesa festiva com o tema Soldadinho de Chumbo. Os enfeites são da Mimus Lembrancinhas Personalizadas e da Love Cakes, com bolo, cupcakes, brownies, cakepops e muitos pirulitos decorados. A disposição do local é da Locação de Mobília e a entrada é gratuita.

Além de contar com a Mamãe Mandou Dizer (oferecendo roupas e acessórios infantis da Art Kids, Mactoot, Gambo, Up Baby & Up Kids, Pijamas Piu-Piu) e a Presentes Creativos (com porta-retratos, canecas, almofadas, bolsas, camisas com desenhos religiosos e blusas infantis cheias de frases divertidas), o It Bazar tem a participação de Laura Rocha Semijoias; Adresse Roupas Femininas (vendendo as marcas Gata Bakana, Vida Bela, Bonequinha de Luxo, AZ Fashion); e ainda a Zepelim Brinquedos Educativos que traz brinquedos e também sua linha de vestuário baby com a promoção compre três e pague dois (as marcas são Savannah, Gaspar, Cocar Baby e Família Ovo). E na parte doce tem a Sniff Brigadeiros disponibilizando para venda seu tradicional brigadeiro de colher. Nos cliques, o bazar conta a fotógrafa Nathy Lugon!

Serviço

O que: It Bazar
Quando: 09 e 10 de dezembro, das 16h às 21h
Onde: Buffet Estripulia (Estrada do Encanamento, 1325, Poço da Panela, Recife)
Entrada: gratuita
Ascom DUO Comunicação
Daniela Peregrino – 8711.7111

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
03 dez
Mamadeira e chupeta: 4 passos para seu filho largar os bicos de vez!

image

Tirar o hábito da chupeta e da mamadeira do seu filho – que foi um dia algo tão útil e acalentador – pode ser encarado como uma batalha sofrida para você e para ele. Mas não precisa ser assim. Confira….

De modo geral, é costume tirar a chupeta e a mamadeira a partir de 1 ano e meio e até os 3 anos . Fazer isso pode representar uma perda para a criança – mas ela tende a sofrer menos do que os pais, que ficam morrendo de pena do filho. Não precisa ser assim. É possível vencer essa batalha em quatro passos – e poucas lágrimas de ambos os lados!

1. Assuma, seu bebê cresceu

Essas pequenas transições soam aos pais como uma perda. Sinais de que seu filho vai se entregando ao mundo, ou seja, que vai tornando “menos seu”. Racionalmente pode não fazer sentido, mas, emocionalmente, aceitar o crescimento da criança é a primeira batalha a se vencer. “Retirar esses hábitos não devem ser encarados como perda, pois não tem nada de prejuízo, é sim, um benefício à criança. Na verdade, a vida toda vai ser assim, com os pais mostrando ao filho o que ele ganha ao crescer”, E nada de ficar com pena! “Por que na hora de trocar a fralda pela cueca/calcinha é bacana e trocar a mamadeira pelo copinho não? É o mesmo tipo de desenvolvimento”.

2. Vá aos poucos, mudanças acontecem gradativamente

Tanto a chupeta quanto a mamadeira devem ser tiradas aos poucos. “Não seria muito bom, por exemplo, ser junto com o fim das fraldas, entrada na escola ou a chegada de um irmão. No caso da chupeta, o ideal é que, de início, seu uso se limite aos horários de dormir (inclusive as sonecas, sempre tentando retirar da boca da criança assim que o sono estiver mais pesado) ou quando a criança estiver diante de um grande estresse. Ou seja, sem essa de chupeta pendurada na roupa, na hora de brincar ou na cadeirinha do carro. Depois, é limitar para o sono da noite, até que venha o combinado de jogá-la fora.
Com a mamadeira, a primeira atitude é acabar com a mamada da madrugada – que, na verdade, nunca deveria ter existido.  A segunda é introduzir o copo de transição para água e suco.

Depois, usá-lo para dar o leite do lanche da tarde, se ele existir. Então, a mamadeira que sai é a da manhã, introduzindo a criança ao hábito completo do café da manhã (se for com os pais, melhor ainda!). Por último, a da noite.

3. Programe-se. É você quem vai controlar o tempo

Quanto tempo vai demorar até seu filho esquecer os bicos? Difícil prever, mas não passar de um mês seria um ótimo limite. Também é importante não “sequestrá-los”, ou seja, tirá-los quando a criança não estiver olhando, pois ela deve participar do processo. “Os pais têm de dizer que estão indo guardar a chupeta ou deixar a criança guardá-la – e sempre em um local que ela tenha acesso. Também é importante que a mudança tenha uma meta na reta final, algo que motive seu filho a se esforçar. Pode até ser um combinado relacionado a alguma data importante ou acontecimento, como adiantar um presente que a criança esteja esperando.

4. Resista, ele vai pedir

Seu filho pode realmente aceitar o fim da era das chupetas e mamadeiras com extrema boa vontade, demonstrar que compreendeu a passagem e parecer feliz. Mas, na hora do aperto… sim, ele pode regredir e pedir. É aí que os pais mais têm que se mostrar firmes. Não ceda. Se tirou a mamadeira da água, por exemplo, não volte atrás. Continue com a firmeza a cada etapa da mudança. Seu filho já não está usando bicos? Para essa fase final, “Tire todas as mamadeiras e chupetas da casa, para não correr o risco de amolecer e ceder”.

Assim, seguindo estas dicas o sucesso será garantido!

image

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
02 dez
Turma da Mônica e ONG apresentam dois novos personagens.

image

No dia 03 de dezembro, no Rio de Janeiro, Maurício de Souza revela ao público os amiguinhos Igor e Vitória. Portadores do HIV, eles chegam para conscientizar famílias e educadores sobre a AIDS, diminuindo o preconceito e a discriminação

A UNICEF estima que, hoje, no Brasil, há mais de 20 mil crianças e adolescentes portadores do vírus HIV. No mundo, são cerca de 2,5 milhões e, diferente do que se imagina, os números da doença vêm aumentando. Em parceria com a ONG Amigos da Vida, cuja presidente de honra é a Sra. Carminha Manfredini, mãe de Renato Russo, o cartunista Maurício de Sousa lança, no Rio de Janeiro, o primeiro gibi “Turma da Mônica em: Amiguinhos da Vida”. O evento para convidados está marcado para 3 de dezembro, às 18h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A edição especial, que será distribuída gratuitamente em escolas e instituições voltadas para crianças, traz a história de Igor e Vitória, duas crianças soropositivas.

De acordo com o presidente da ONG, Christiano Ramos, a rede pública fundamental do Distrito Federal foi a primeira a aprovar a distribuição em suas escolas. Agora, o objetivo é chegar às redes de ensino de todo o país. “Este gibi foi criado para estimular o diálogo entre pais e filhos não impactados pelo vírus. Nosso objetivo não é evidenciar informações sobre o que é a AIDS, como ela é transmitida e quais são as formas de tratamento, mas sim conscientizar para a existência da doença e contribuir para diminuir o preconceito e a discriminação através da leitura”, reforça Christiano, portador do HIV há 22 anos e reconhecido em todo o país como um importante líder na prestação de serviços a famílias impactadas pela AIDS.

Acostumado a abraçar grandes causas, o cartunista Maurício de Sousa não pensou duas vezes ao ser procurado pela ONG Amigos da Vida. Com a certeza de que esta seria uma ação social de enorme valor, e que ajudaria a espalhar informação a crianças e adultos sobre um tema relevante em nossa sociedade, Maurício criou os personagens Igor e Vitória, sem perder de vista o contexto no qual seriam inseridos. Com enorme sensibilidade, ele não deixou de lado a essência que norteia o perfil da Turma da Mônica.

 

“Na revista, nós afirmamos que as crianças soropositivas podem ter uma vida normal e o que nós queremos é realmente abrir um universo onde possa haver integração e convívio alegre, de criança para criança”, diz o cartunista, revelando que Igor e Vitória têm entre sete e oito anos e convivem harmoniosamente com Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão. Além disso, ele conta que a participação dos personagens não se limitará a esta primeira edição a ser lançada. Novas histórias com os personagens já estão em produção.

image

image

O impacto social causado pela AIDS será abordado delicadamente como ponto principal, mas também haverá informações muito bem trabalhadas dentro do universo infantil sobre as formas de infecção, o que é a AIDS e como conviver como crianças soropositivas.

No evento de lançamento no Rio de Janeiro, o próprio Maurício de Souza estará presente e autografará os gibis de todas as crianças que lá estiverem. Além dele, já estão confirmadas as presenças do presidente da organização, Christiano Ramos; do embaixador da Austrália, Brett Hackett; do senador Lindberg Farias; da deputada federal Erika Kokay; da secretária de cultura do Estado do Rio de Janeiro, Adriana Rattes; e do presidente do CCBB, Aldemir Bendini. O projeto e o lançamento contam com o apoio do Banco do Brasil, BancorBrás, do CCBB e da UNICEF.

Mais informações:www.amigosdavida.com.br ewww.igorevitoria.com.br.

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
24 nov
7ª Edição do Cabine Fashion.

cabinefashion_banhodesol

O Cabine Fashion, evento de moda comandado por Bianca Branco, chega a sua 7° edição nos dias 24 e 25 novembro, na Casa Rosada, no bairro do Rosarinho. São mais de 50 lojas que prometem descontos de até 70%.

De acordo com Bianca a proposta do Cabine vai muito mais além de uma proposta de compras. “Neste dois dias teremos uma programação intensa com palestras, desfiles e apresentações artísticas alinhados com o tema da campanha que é Pintando o Sete. Inclusive, convidamos novamente as principais blogueiras da cidade para estrelar as peças publicitárias, aparecendo em poses e situações que tem tudo a ver com verão”, detalha.

AÇÃO DO BEM – A boa ação do Cabine virá em formato especial. Bianca Branco convidou Mariana Barreto, da OBBA, para armar um chá de fraldas no evento com direito a bolo e uma decoração especial com o tema “Pantone” para arrecadar doações de pacotes de fraldas. Tudo que for arrecadado será doado para o Imip e o GAC. A entrada custará R$ 5,00 + 1 pacote de fralda, de qualquer tamanho.

DESFILES – Os fins de tarde do Cabine serão marcados por desfiles de marcas e estilistas convidados.

ESPAÇO KIDS – As mamães fashions poderão deixar seus filhotes no Espaço Kids para aproveitarem mais tranquilas o evento e as compras. Quem comandará o local é Carolina Figueirêdo da, da IUPI, loja com foco no design para crianças que faz ambientação de quartos infantis. Carol irá desenvolver atividades que explorem o lado artístico dos pequenos, disponibilizando no espaço muitas ferramentas para desenhar e pintar. Além disso, a IUPI vai oferecer um serviço de impressão no qual os desenhos feitos pelos pequenos poderão ser usados como estampas para almofadas.

CASA GOURMET – Durante o Cabine Fashion, a Casa Rosada irá armar a Casa Gourmet, um espaço para recarregar as energias nos dias de compra. O menu foi elaborado pelo jovem chef Pedro Godoy, que preparou opções rápidas como mini coxinhas, bolinhos de bacalhau, croque mounsier, wraps, ou uma refeição mais consistente como escondidinho de charque, bobó de camarão e penne ao ragu de filé, entre outras pedidas.

CASA DE VIDRO – As blogueiras que participaram da campanha da 7ª edição terão um cantinho especial no Cabine. Uma casa de vidro será montada no local para que elas possam postar em tempo real no evento e também interagir com o público presente.

BECK TO BECK – Para abrir e fechar com chave de ouro os dois do Cabine Fasgion foi escalada a banda Beck to Beck, comandada pela vocalista Beck Schroeder. A banda promete encher a Casa Rosada com muito pop/rock e soul. No repertório, sucessos como We Are Young, da banda norte americana Fun. e Mercy, da britânica Duffy. A escolha certamente vai agradar ao público presente.

SERVIÇO: 7ª edição do Cabine Fashion – 24 e 24 de novembro – Domingo e segunda-feira Local: Casa Rosada, no Rosarinho Entrada: R$ 5,00 + 1 pacote de fralda que será doado para instituições de caridade.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
19 nov
Traumatismo dentário em dente de leite.

Criança não para quieta, não é verdade? E no meio desta agitação, pode ocorrer uma queda e ela bater a boca! E agora?

Sem título

Figura 1. Traumatismo dentário em dente de leite

As pancadas que envolvem os dentes são chamadas de: traumas dentários e acontecem principalmente nos meninos. O pico de incidência ocorre nas faixas etárias entre 2 e 3 anos, na dentição de leite, e nas crianças com idade entre 9 e 10 anos, na dentição permanente. O primeiro pico está relacionado com os primeiros passos da criança e a coordenação motora ainda em desenvolvimento. Por sua vez, o segundo pico está relacionado com as brincadeiras e atividades esportivas mais frequentes nessa faixa etária.

Percebe-se, de acordo com as causas, que é difícil impedir que estes acidentes aconteçam. Precisamos, portanto, saber como agir diante do trauma.

E a primeira coisa a fazer é não se desesperar e manter a calma! Passar tranquilidade para seu filho é o mais importante no momento.

Em seguida, fazer a limpeza da região e estancar a hemorragia com compressa gelada. Pode até ser com sorvete ou picolé, se quiserem! E depois, observar se machucou apenas tecidos moles (gengiva, língua, lábio, bochecha, freio) ou se acometeu dentes e estruturas de suporte.

Se for dente de leite, as mamães precisam ficar atentas que qualquer pancada nesse dente, ele quebrando ou não, pode afetar a formação do dente permanente sucessor. Principalmente nos casos de intrusão (quando o dente entra no osso) e de avulsão (quando o dente sai completamente do osso). Nos casos de luxação, o dente de leite pode apresentar mobilidade após a pancada e a criança normalmente relata incômodo ao comer, usar chupeta ou mamadeira. Mas mesmo se a criança não apresentar incômodos, podem ter ocorrido danos à estrutura que mantém o dente no lugar (subluxação ou concussão). As luxações são os traumas mais prevalentes na dentição de leite.

ESCRITO POR: Dra. Maira Odontopediatra

IG: @maira2312      E-mail: maira@spaoral.net

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
18 nov
Alerta para os pais: repelentes podem ser tóxicos para crianças.

rep

Final de ano é época de viajar com a família, e na lista de itens para levar na bagagem, um não pode faltar de jeito nenhum: o repelente. Para não ser surpreendido na praia ou no interior por muriçocas, pernilongos ou borrachudos, prevenir é sempre melhor. Mas é preciso estar muito atento ao rótulo na hora de escolher o produto. Contida na maioria dos repelentes, a substância dietiltoluamida (DEET) pode ser tóxica em altas dosagens, principalmente para crianças.

Em doses elevadas, o DEET pode provocar vômitos, alergia e até alterações neurológicas. A criança corre mais riscos porque sua pele é mais fina, logo a absorção de qualquer produto é maior. Além disso, seu sistema imunológico é imaturo e, portanto, as reações tendem a ser mais sérias. Não é à toa que os repelentes com DEET possuem uma série de restrições.

Em abril deste ano a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu o uso de repelentes com DEET em crianças menores de 2 anos. Para crianças de 2 a 12 anos de idade, permite apenas se a concentração for inferior a 10%, restrita a apenas três aplicações diárias. Apenas nos adultos a concentração pode ser de até 30%.

Como alternativa, em Pernambuco, a biotecnologia já vem sendo utilizada para desenvolver fórmulas de repelente sem DEET. Uma das pioneiras é a BioLogicus, que já trabalha com um repelente 100% natural, o BioRepely. O produto à base de probióticos (as chamadas “bactérias boas” que produzem benefícios para o organismo) e de óleos essenciais orgânicos é completamente natural.

Além de eficaz no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e dos mosquitos transmissores da malária e da filariose, o BioRepely pode ser utilizado sem restrição em crianças e mulheres grávidas.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
14 nov
Vamos conversar sobre sexualidade?

sexualidade_infantilQuem nunca se sentiu desconfortável diante de uma criança que faz uma pergunta envolvendo o tema da sexualidade? É muito comum que pais, mães e cuidadores sintam-se desconsertados, em uma “saia justa” diante dessas situações. Isso se dá, muitas vezes, porque nós, adultos, viemos de gerações em que não se falava muito no assunto e, embora tenhamos o intuito de que nossas crianças sejam mais bem preparadas do que fomos e vivam a sexualidade de forma mais consciente, acabamos encarando esse tema como algo impuro, um bicho de sete cabeças. Além disso, por serem vistas como ingênuas e inocentes, costumamos atribuir às crianças também o status equivocado de indivíduos ‘sem sexualidade’ – o que pode, diga-se de passagem, reforçar a falsa idéia de que quanto mais tarde se falar no assunto, mais se conseguirá adiar o interesse por ele e, conseqüentemente, pelo próprio ato sexual.

Mas, ao contrário do que se pensa, a sexualidade está presente em tudo o que fazemos: seja em uma massagem relaxante, no sabor de uma comida, em um beijo ou um abraço; tudo o que se refere ao prazer com o corpo diz respeito à sexualidade. Ela tem início nas nossas primeiras experiências de vida, com a amamentação e com a descoberta do próprio corpo, por exemplo – as crianças sentem prazer em serem acariciadas, em serem tocadas – e se faz presente em todas as outras. A sexualidade é uma experiência constante e inerente a todas as pessoas.

Compreender isso é essencial para que possamos refletir acerca da educação sexual, que também acontece o tempo todo. “Mas como assim o tempo todo?”, você deve estar se perguntando. Veja bem: a maneira como você se relaciona com o assunto já é uma forma de educar sobre a sexualidade. Quando você escolhe não falar nesse tema, você está “dizendo” o que pensa sobre isso. Se seu filho lhe faz uma pergunta e você manda ele ‘parar de falar nisso, porque isso é coisa feia’, certamente você está dando um tom de proibição ao assunto [e à curiosidade dele!]. A forma como você se relaciona com o assunto, o tratamento que você dá ao seu marido e às crianças, a maneira como você trata as pessoas e as coisas, o modo como você lida com o seu próprio corpo e ensina o seu filho a cuidar do corpo dele, tudo isso é educação sexual.

Ou seja: a educação sexual acontece ao mesmo tempo em que se educa acerca de todos os outros temas. Ela diz respeito à transmissão de valores, à experiência de vida que os adultos transmitem às crianças. Portanto, a sexualidade vai necessariamente estar presente durante todo o desenvolvimento. Então, como não falar sobre isso com as crianças? Por que não? Elas estão conhecendo o mundo e é natural que se vejam cheias de dúvidas e curiosidades. Logo, informá-las e orientá-las acerca dos mais diversos temas é de extrema importância.

É interessante que possamos ter uma noção do que elas já sabem sobre aquilo que estão questionando e isso pode ser perguntado a elas (“O que você sabe sobre isso? Me conta!”). Muitas vezes, ao nos depararmos com determinadas perguntas, olhamos para elas considerando a nossa experiência de vida com o assunto e acabamos enchendo a nossa resposta de informações que estão muito além do que a criança espera receber. As respostas precisam ser simples, claras e acessíveis; não é necessário responder mais do que o que foi perguntado.

E se, por acaso, você não se sentir preparado para responder a uma dessas perguntas, por que não compartilhar isso com a criança? “Filho, eu preciso pensar um pouco sobre isso para te responder. A gente pode conversar depois?”. O mais importante é ser verdadeiro e poder tratar do assunto com naturalidade, porque isso faz parte do desenvolvimento natural da criança, faz parte da vida.

Num mundo em que o acesso à informação é tão fácil (e pode ser tão perigoso!), é muito bom que as crianças possam sentir-se à vontade para nos fazer perguntas, pois assim esses primeiros questionamentos são feitos sob a supervisão de um adulto e não através de pesquisas na internet, por exemplo. Precisamos olhar para isso como algo esperado, natural. Portanto, se colocar disponível para conversar sobre, estar aberto para que manifestem suas dúvidas, falar de intimidade (é essencial orientar as crianças acerca do que é público e do que é íntimo!), de limites, tudo isso certamente ajudará a criança a lidar de forma mais saudável com as questões relacionadas à sexualidade e a compreender que poderá sempre contar com você para esclarecer suas dúvidas.

ESCRITO POR:  Marina Férrer – Psicóloga Clínica  CRP: 17/1960   –  marina@nucleocriad.com.br

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
04 nov
Segurança e qualidade começam no berço.

quarto bebe
Ainda é recente a lei no Brasil que obriga os fabricantes de móveis para bebês a terem selos de certificação do Inmetro. No exterior, esta medida já é praticada há anos. Aqui no Brasil, porém, somente nos dias de hoje as autoridades se preocuparam com a segurança dos bebês dentro de seus berços. Poucas empresas fabricantes estão preparadas para este novo cenário de normas rígidas e, inclusive, várias estão fechando as portas, já que o processo de certificação é lento, caro e burocrático.

Algumas empresas, porém, saíram na frente. Uma delas é a Cia. do Móvel, tradicional fábrica de móveis localizada em Leme, despontando entre as líderes deste mercado, oferecendo produtos de alto valor agregado e preço competitivo.

A futura mamãe sempre busca o melhor para o seu filho. Por isso, a empresa procurou se diferenciar pela qualidade e pela inovação. Sendo assim, seus produtos são de altíssima qualidade e estão sempre acompanhando o desenvolvimento das crianças, desde os primeiros dias de vida, até os primeiros anos da adolescência.

A maior prova destes atributos é que a Cia. do Móvel foi pioneira no desenvolvimento de berços que viram mini-cama, tornando-se referência no mercado. “Percebemos que precisávamos aumentar a longevidade dos nossos produtos, acompanhando o desenvolvimento da criança. Foi assim que nasceu a linha Tempo, que representou um divisor de águas em nossa história”, lembra. “Passamos a investir na transformação, fazendo com que uma cômoda se tornasse escrivaninha, etc.”. Atualmente a empresa também dispõe de linhas focadas no público teen.

caminha

quarto menino

Sua fábrica possui modernos maquinários, mas nem a mais alta tecnologia é capaz de desenvolver tantos detalhes com precisão. “Valorizamos muito o detalhe. Há formas que as máquinas não conseguem fazer. Prezamos pela produção artesanal, pelo carinho e amor dos profissionais que atuam quase como artistas plásticos”, afirma o diretor. “A nossa palavra de ordem é aconchego. Passamos por todas as etapas pensando em como oferecer o maior conforto aos bebês, crianças e adolescentes”, completa.

Graças ao seu jeitinho especial de trabalhar, a Cia do Móvel é a única neste setor que possui ISO 9001. “Conquistar essa certificação foi um reconhecimento enorme de todos os nossos esforços e investimentos em políticas de qualidade”, confirma. Além disso, em novembro de 2012 a empresa conquistou a certificação do Inmetro ABNT NBR 15860, que regulamenta os berços fabricados e comercializados em todo o território nacional.

A Cia do Móvel possui forte atuação no estado de São Paulo, além de representantes em todos os estados brasileiros. Como possui foco em diferenciação, a empresa trabalha prioritariamente com revendas de bandeiras exclusivas da marca.

É por todos estes atributos e diferenciais que a Cia do Móvel vem se destacando e conquistando novos consumidores a cada dia. “Temos mantido uma trajetória sempre ascendente, mas o mais importante para nós é sermos os melhores e não os maiores. Queremos que as mamães e seus filhos sintam esse nosso carinho diariamente em suas vidas. Esta é a nossa grande meta”.

berco bebe

quarto teen

quarto

Publipost realizado pela: Cia do Móvel

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone