Sem julgamentos e mais amor.

25 ago
Sem julgamentos e mais amor.

Como vocês viram lá no Snap 👻 e no insta da Turma, hoje foi dia dos últimos exames e mais uma consulta com minha GO. Pra quem ainda me pergunta sobre o parto vou explicar.

Eu particularmente sou tranqüila em relação a ele. O que eu decidi nesta gestação foi tentar aguardar o momento dele querer vir ao mundo e o parto seria uma conseqüência dessa escolha.

Com Davi foi cesárea porque a placenta amadureceu bem antes e começou a “descamar” e precisamos fazer, pois ele poderia entrar em sofrimento.

Sei que muitos falam que isso é conversa de médico para induzir uma cesárea e tal, mas eu precisava confiar na equipe que escolhi.

Com Caio estamos esperando ele dar sinal de que quer vir ao mundo, mas o bichinho esta cheio de preguiça pelo que estou vendo.

A escolha do parto pra mim é algo muito pessoal e que envolve vários fatores como: saúde da mãe e do bebe, o fator psicológico da mãe, condições físicas, preparação para esse momento.

Muitas têm literalmente o parto natural, aquele que o bebe quase “escorrega” de dentro da mãe, outras fazem de um tudo e não conseguem realizar.

O importante é saúde de ambos e que no final tudo ocorra como o esperado. Sem preferências, sem defensores e críticos diante da escolha que uma mulher faz.

Na verdade todo e qualquer tipo de atitude tomada por uma mãe haverá críticas.

Se for cesárea, criticam e relatam fatos ruins sobre a escolha, se for normal também criticam caso a mãe espere muito e se for humanizado em casa, mesmo com toda mídia sobre isso, também criticam argumentando os riscos de parir fora de um hospital.

O mesmo posso dizer que acontece com quem escolhe oferecer uma chupeta, uma mamadeira ou aquela mãe que não conseguiu amamentar o seu filho e tantos outros assuntos sobre maternagem.

O que precisamos na verdade é respeitar mais o nosso próximo e parar de querer julgar a atitude que tomam. Ter um filho parou de ser algo tranquilo e especial para se tornar um espetáculo onde a plateia quer conduzir o final de tudo.

Precisamos de uma maternidade sem julgamentos e mais amor. Sempre li essa frase e é a mais pura verdade:

– Quem fez cesárea é mãe.

– Quem fez parto normal é mãe.

Então ao invés de criticar ou algo assim, torçam para que tudo dê certo e que o seu próximo consiga se realizar independente de uma escolha que é tão pessoal.

Se for do plano de Deus que ele venha de PN, mas caso não ocorra preciso estar bem para recebê-lo também.

E pra vocês o que peço é só oração e pensamentos positivos para que tudo ocorra bem. Sei a mãe que sou para o Davi e sei a mãe que quero ser para o Caio e isso vai além da forma como ele vira ao mundo.

Beijos

Tia Mari @turmadatiamari