Bebê mexendo na barriga da mamãe. Baby Caio, meu calombinho do amor a todo vapor.

30 jul
Bebê mexendo na barriga da mamãe. Baby Caio, meu calombinho do amor a todo vapor.

E quando você pensa que em pouco tempo o seu bebê mais que sonhado estará em seus braços?

O coração bate acelerado, os medos começam a surgir e até a saudade da barriga que ainda não saiu você começa a sentir. Sentimentos que todas as mães compartilham.

Sentir o bebê mexer é algo inexplicável, é um momento só seu e dele, literalmente uma troca de carinho e um alivio ao saber que esta tudo bem lá dentro.

Estamos na semana 35 e muita coisa aconteceu. Nossa contagem regressiva agora esta a todo vapor, teoricamente temos 5 semanas ainda, mas que seja como Deus planejou para nós dois.

Te amo infinito, filho! E te espero ansiosa.

Beijos Mamãe.

29 jul
Como identificar alterações auditivas em escolares.

A surdez, caracterizada pela perda total ou parcial da capacidade de ouvir, manifesta-se com diferentes graus, desde perdas auditivas mais leves até surdez profunda, podendo ocorrer em um ou nos dois ouvidos.

A rubéola gestacional e outras infecções pré-natais são as causas principais de surdez de grau severo ou profundo. Nos casos de deficiência auditiva leve e moderada, a otite média de repetição é a causa mais frequente na infância. Estes graus, leve e moderado, são difíceis de serem detectados, pois passam despercebidos pelos pais e professores.

O problema interfere no desempenho escolar, na capacidade de aprendizagem, no desenvolvimento da fala destas crianças e nas dificuldades de relacionamento. Não sendo capazes de ouvir com clareza, muitos perdem o interesse pela escola e se deprimem facilmente. A dificuldade em ouvir faz com que o aluno, apesar de atento ao que a professora explica, não aprenda o que está sendo ensinado à turma.

Para evitar que isso aconteça, é preciso que pais e professores fiquem atentos àquelas crianças que normalmente se distraem, apresentam dificuldade para conversar, problemas de comportamento ou sentem dores de ouvido com frequência. A sala de aula sempre foi e continua sendo um dos melhores ambientes para identificar problemas auditivos. Por isso, os professores têm um papel fundamental nesse diagnóstico. A prevenção de problemas auditivos em escolares pode ser realizada através de triagens, orientações e encaminhamentos adequados. A triagem na escola continua sendo a forma de identificar alunos com possíveis alterações auditivas. Um programa de detecção precoce de triagem auditiva em crianças na pré-escola e na alfabetização visa prevenir dificuldades na aquisição da fala e no desenvolvimento da linguagem, já que ambos estão diretamente ligados à audição.

Muitas vezes, através da triagem, detectam-se crianças com corpos estranhos dentro do ouvido. Isso é muito comum! Objetos como miçangas, grãos de arroz, peças pequenas de brinquedos, entre outros, que obstruem o canal auditivo dos alunos. O problema é resolvido com uma simples limpeza para retirar estes objetos do ouvido.

Se houver uma suspeita de alteração auditiva, o professor deve tomar algumas medidas para tentar solucionar ou diminuir o problema da criança, como:

– sentar a criança em lugar mais adequado (de preferência na frente);

– falar com o aluno de forma natural, sem gritar e sem sussurrar;

– encaminhá-lo ao otorrinolaringologista e ao fonoaudiólogo para que sejam tomadas todas as providências para um tratamento adequado;

– dar liberdade para a criança dizer quando não entendeu ou não escutou o que lhe foi dito, sem que ela se sinta envergonhada;

– integrar a criança ao grande grupo, fazendo com que os colegas compreendam os motivos pelos quais ela não fala ou não escuta normalmente.

A partir da Lei 10436, o governo Brasileiro reconhece Libras, como língua, e os surdos tem o direito que nas Instituições Educacionais as aulas sejam ministradas em Libras, pelo menos com a presença de um intérprete.

Sinais e Sintomas

É importante prestar atenção e desconfiar de algo estranho quando:

As crianças falam alto demais; fazem otites de repetição; escutam a televisão em volume aumentado; apresentam dificuldades escolares; são desatentas, distraídas, agitadas; possuem trocas ou distorções na fala; apresentam dificuldades na pronúncia das palavras, tiveram atraso no desenvolvimento de linguagem; são portadoras de síndromes e doenças degenerativas; se queixam de ouvido “tampado”, zumbido, dor de ouvido; se incomodam com o som alto; apresentam dificuldades de socialização e de problemas afetivos; aparentam preguiça ou desânimo, usam palavras inadequadas e erradas, quando comparadas às palavras usadas por outras crianças da mesma idade, se a criança atende quando é chamada, se inclina a cabeça procurando ouvir melhor, não se interessa pelas atividades ou jogos em grupos, é retraída, desconfiada ou envergonhada, solicita  que o professor repita várias vezes à mesma coisa.

Uma conversa entre professor e pais pode ajudar muito. Muitas vezes, é o professor quem alerta os pais sobre o comportamento auditivo da criança.

Medidas simples

A professora pode bater palmas próximo ao ouvido da criança, sem que ela veja; falar baixo o nome do aluno a e observar se ele atende, utilizar instrumentos sonoros em sala de aula, bater fortemente na mesa, no quadro, na porta e avaliar a reação do aluno. São medidas simples, mas que podem dar uma base para os professores sobre possíveis problemas auditivos de seus alunos.

Aline Berghetti – Fonoaudióloga e Psicopedagoga

@alineberghetti

14 jul
Enxoval do Baby Caio. A lista está quase acabando

image

 

Finalmente estou quase terminando tudo gente! Agora só falta alguns detalhes e o resto das roupinhas.

Essas comprinhas fiz com a Ju que já falei aqui no post da babá eletrônica @juluz_importados.

Pra quem gosta de vídeos das comprinhas do Baby Caio hoje a noite estarei realizando um periscope mostrando tudo pra vocês (item por item) e foram muitos né? Mas todos bem úteis.

Tem mustela, Destin, protetor de bebe confronto, lencinhos para chupetas e os primeiros dentinhos e outras coisinhas mais.

Quem quiser saber o contato dela segue aqui embaixo e fica a dica pra vocês. E quem não tem Cartão internacional pode adiquirir o gift Card e comprar em qualquer site americano.

📬 juluzimportados@gmail.com

📲+12035183435 (com o sinal de +)

Beijos e espero vocês hoje a noite.

 

 

19 jun
Roupinhas do Baby Caio.

Genteeeee!

Como é uma delicia arrumar as gavetas das roupinhas dos nossos filhos né? Da vontade de abrir e fechar mil vezes, na verdade já estou fazendo isso tá?

Por aqui chegou mais uma caixinha da Tia Jordana do @minhasencomendas_usa que esta cuidando de toda parte de roupas do enxoval do meu bebê.

A lista do enxoval ficou por conta das meninas do Instituto Mãe que são Baby Planner e posso dizer que foi uma ajuda e tanto. Mesmo mãe de segunda viagem me senti perdida em muitas coisas e ter uma lista em mãos foi fundamental.

Mas enfim vamos ao video né? Se apaixonem também pelo monte de coisas lindas que ele já tem. Deixo também a quantidade de itens da minha lista, mas já aviso que o importante mesmo é buscar uma lista personalizada de acordo com o seu clima e ritmo de vida #FicaaDica 🙂

Beijos e passem lá no canal da Turma no youtube e se inscrevam para receber as novidades Canal da Turma 

 

27 maio
A babá eletrônica que eu escolhi.

Oi gente!

Como vocês sabem estou na correria com o enxoval do #BabyCaio. Um dos itens que acho super importante e bastante útil é a babá eletrônica, mas se você não fizer uma boa escolha ela pode se tornar sua inimiga.

Lembro que quando Davi nasceu pedi uma da Fisher Price e me arrependo até hoje, sabem aquela babá eletrônica que tira seu juízo fora por conta do chiado insuportável? Pois bem, multiplique por mil e imagine isso durante suas noites de sono limitado.

Agora na gravidez do Caio já havia decidido que iria investir em uma babá eletrônica boa de verdade com tudo que tinha direito. Pesquisei bem no nosso querido Google, escutei a opinião das amigas e achei essa opção a melhor.

Como vivo nesse mundo de insta, conheci a Ju @juluz_importados, que mora nos EUA e trabalha com envio de mercadorias para o Brasil. Quando ela soube do meu buxo entrou logo em contato comigo e ofereceu sua ajuda para o que eu precisasse e eu aceitei de pronto. Aliás, tratei logo de questionar sobre as melhores babas eletrônicas disponíveis hoje no mercado e recebi a sugestão da que eu já tinha em mente.

Feito a escolha, pedi para que ela corresse atrás de uma pra mim e fui atendida com todo amor e cuidado típico do trabalho dela. Minha ansiedade era tanto, que quando a caixinha chegou, o coração logo disparou e ao abrir tive a surpresa de receber também lençóis lindos para o meu bebê, além de um presente especial de aniversario para Davi #CarinhoQueNaoTemPrecoNe.

Segue abaixo a descrição da referida babá eletrônica escolhida:

Summer Baby Touch Wi-Fi, com sistema de monitoramento sem fio e visão noturna, com Bateria Recarregável.

image

  • Babá Eletrônica Digital Com Acesso a Internet de Qualquer Smart Phone, Tablets, Iphones;
  • Sensor de imagem com microfone de alta sensibilidade;
  • Monitoramento da temperatura do quarto;
  • Sistema 100% Digital;
  • 200 metros de distância;
  • Sensor de Imagem e áudio;
  • Tela de 3.5″;
  • Sistema de conversa com o bebê;
  • Sistema Wifi – Conexão via Internet – Acesse a câmera de qualquer aparelho que tenha Wifi;
  • Touch Screen;
  • Visão Noturna;
  • Bateria dura em média 10 horas;
  • 110 – 220V.

São muitos itens né?

Na minha opinião, a utilidade da babá eletrônica durante o primeiro ano de vida do bebê é enorme. Garante melhores noites de sono, já que a mamãe vai estar mais “tranquila” ao ver o seu bebê do quarto dela e se precisar sair ou até mesmo com a volta ao trabalho, você pode se conectar através do celular e acompanhar tudo. Você também pode utiliza-la durante o seu banho, organização de casa e tudo que precisar fazer e continuar observando o seu bebê.

Fica a dica para vocês #GravidinhasDaTurma e não deixem de acompanhar as novidades no insta da Ju @juluz_importados e pelo facebook

Beijos e não deixem de compartilhar com as amigas 🙂

11 nov
O quarto do #TrololoDeMel.

Oi Gente!

Sempre que posto uma foto de Davi no quarto dele muitas de vocês perguntam onde comprei os móveis, com quantos anos eu coloquei ele na cama e me desfiz do quarto de bebê. Então resolvi gravar esse vídeo para vocês conhecerem um pouco mais do cantinho do #TrololoDeMel.

Vamos lá assistir? Não deixem de se inscreverem em nosso canal.

https://www.youtube.com/watch?v=_0hjdSTfCP8

Espero que gostem. Beijos!

24 set
Autoestima na gravidez.

Blog_Depyl_Gravidas

Mudanças hormonais, roupas apertadas, aumento de peso, sonolência, seios doloridos, dores nas costas. Essas são algumas das mudança que ocorrem ao longo da gestação. Dentre tantas preocupações acerca da gravidez, o fator físico é certamente uma das maiores.

No passado, a expectativa durante gravidez era apenas com a saúde do bebê e da mãe. Atualmente, muitas mulheres passam pela gravidez com a sensação de que precisam vencer uma guerra. Chama atenção principalmente o medo de não retornar ao peso anterior.

Esse processo resulta em  gravidas fazendo dietas restritas e se exercitando como se não houvesse outra vida dentro de si. O fundamental é a consciência de que o período da gravidez necessita não só de nutrientes, mas também do estado de espírito da mãe.

Como educadora física e trabalho diário com o publico feminino, reforço a importância da mulher se posicionar e se conscientizar sobre isso. Evite comparações! Você não precisa ter sua barriga chapada logo após o parto! Preocupe-se com o momento mais especial que esta vivendo e que passa rápido.

É possível chegar até o ultimo mês de gravidez de forma saudável e com o sentimento de que todas as mudanças estão ocorrendo pelo melhor motivo do mundo, a vinda do seu filho. Uma vida que precisa de uma mãe que saiba lidar com mudanças, e sobretudo equilíbrio.

Bia Faé – Personal Trainer – @personalsaudemulher

22 set
Por que eles tem que crescer?

“É que crescer custa um tanto de paciência. Na verdade, bem muita. Chega um momento que até nossas contradições são coerentes”.

(Vanessa Leonard)

Crescer exige mesmo paciência. Paciência para ensinar, estimular, acompanhar, preparar-se para o próximo passo. Mas não é “só” isso. Exige também respeito ao ritmo e tempo de cada um. Exige parceria, porque é preciso estar junto; é preciso crescer junto.

Na medida em que ensinamos e estimulamos uma criança, aprendemos outro monte de coisas com ela e somos estimulados também a crescer e desenvolver. Quando uma criança completa quatro anos, seus pais tem que crescer junto para aprenderem a ser pai/mãe daquela menina de (agora) quatro anos. O aprendizado e crescimento são constantes nessa longa caminhada tão mágica quanto desafiadora!

Crescer implica a cada dia ter mais autonomia para ir em frente, fazer, pensar, escolher, decidir, ser. E esse caminho só é possível quando se acredita nas possibilidades (nossas e da criança) para tal. Mas nem sempre é fácil como parece.

Muitos pais têm dificuldades de perceber, reconhecer e aceitar o crescimento dos filhos e investem na ideia de que terão maior segurança estando sob suas asas, protegendo-os de encarar a vida a partir de suas próprias experiências e vivências. E aí tomam a iniciativa de tudo. Começam a fazer PELA criança, em vez de fazer COM a criança ou de orientá-la e supervisioná-la. Fecham os olhos para os sinais que os pequenos dão de que já podem dar o próximo passo. E a criança começa a crescer amarrada. Com freio de mão puxado.

Tudo isso atende a uma necessidade que não é da criança, mas dos próprios pais. O medo de que a criança cresça é deles. Medo de perder o controle, talvez. Ou de ‘daqui a pouco’ não ter mais a sensação tão gostosa de estar com o pequeno no colo. Medo do desconhecido – daquilo para o qual se tem milhões de perguntas e nenhuma resposta pronta, mas que precisa ser vivido.

Veja bem, a ideia não é pisar no acelerador. Do ponto de vista emocional, isto também não é saudável. O que propomos aqui é que possamos caminhar de forma respeitosa, paciente e disponível para ensiná-los e estimulá-los nesse crescimento, não esquecendo de estarmos atentos aos sinais dos pequenos (que vêm através de falas, comportamentos, expressões corporais…), para que consigamos nos atualizar junto com eles. Por vezes, eles mesmos tiram a fralda sozinhos ou pedem para fazer xixi igual ao papai. Ou querem experimentar tomar banho sozinhos. Pode ser que não queiram acordar para tomar o gagau da madrugada. Ou tentem amarrar o próprio tênis, do jeito deles mesmo. E se não ouvirmos as nossas crianças e não tivermos uma postura permissiva para que isso aconteça e se desenrole, podemos dificultar esse processo natural e necessário.

É verdade que poucas coisas são tão gostosas quanto ter os filhos no colo e ser “tudo” na vida de alguém. Mas tão prazeroso quanto isso é perceber que se conseguiu prepara-los para enfrentar o que vem pela frente. No curso natural (e saudável) do desenvolvimento, as crianças vão crescendo, enriquecendo sua vida com experiências próprias, fazem amizades, criam novas referências (e mantêm algumas antigas), fazem suas próprias escolhas e assim vão se descobrindo e tecendo a vida. Nesse caminho, outras coisas e pessoas vão se tornando especiais e os pais vão deixando de ser o “tudo”, mas nunca de ser muito, muito importantes! E essa é uma demonstração que a vida lhes dá de que foram no caminho certo. Funcionou, porque eles aprenderam a construir o que é deles. E os pais podem, de outra forma, continuar juntos, parceiros na vida.

Quando os sinais aparecem, a gente precisa ser veículo para ajudar a conduzir ao próximo passo. Precisa dar sinal verde para a vida acontecer naturalmente. Precisa crer. E deixar ser. Para poder crescer.

Marina Bezerra Férrer

Psicóloga clínica e integrante do @nucleocriad

 

27 ago
Davi e sua volta ao consultório de Tia Maíra.

https://www.youtube.com/watch?v=1ZKcQkGCxKA

O Davi tem uma mordida cruzada anterior, ou seja, os dentes da frente superiores encaixam por trás dos dentes inferiores. No entanto, o certo é ao contrário.
Esse tipo de mordida pode ter origem dentária (quando o problema está apenas na inclinação dos dentes) ou esquelética (quando problema está nos ossos : Deficiência de maxila ou excesso de mandíbula).
 
Ao exame clínico, pude observar no Davi um pouco dos dois. Existe uma inclinação dos dentes superiores para trás, mas também há uma deficiência de maxila, como se ele tivesse pouca maçã do rosto. Então foi solicitado uma documentação ortodontica que é composta por fotos, radiografias e outros documentos para ser avaliado a tendência de crescimento dos ossos da sua face e assim podermos escolher o melhor tratamento para ele.
 
Vamos optar por iniciar logo o tratamento porque a mordida cruzada deve ser tratada o mais cedo possível. O tratamento vai ser do tipo ortopédico, pois ocorre durante o crescimento crânio facial o que favorece o tratamento e minimiza os problemas de oclusão no futuro, mas que não impede que ele vá usar aparelho ortodontico anos depois.
 
Assim que a documentação ficar pronta, devem voltar ao consultório para saber qual tipo de aparelho ele vai usar. Mas ele já escolheu a cor: azul e com a figurinha do homem de ferro!
 
Dra. Maíra Goes.
02 maio
Independência desde cedo!

Sempre que posto algo que o Davi #TrololoDeMel esta fazendo, sempre tem uma mamãe que comenta:

Aí tia Mari, meu filho não faz isso ou não faz aquilo!

– Tia Mari como eu faço para o meu filho ser assim?!

E eu digo:

– Não existe fórmula para nada, filho não é uma “receita” e nem todos são iguais. Até mesmo os irmãos criados e educados pela mesma mãe e mesmo pai não agem da mesma forma, não é mesmo?

Hoje em dia, a maioria das famílias, tem  a mãe também trabalhando  fora de casa, e o que observo é que na maioria das  vezes essas mães se sentem culpadas pelo pouco tempo dedicado aos filhos. Então, a  tendência atual é dar tudo muito pronto para as crianças.

Permitir que os nossos filhos executem algumas tarefas do dia a dia não vai fazer de você ” nem mais, nem menos mãe “, pelo contrario, uma vez que a autonomia da criança está ligada à maturidade e as oportunidades, tornará esses pequenos momentos em um momento de grande realização  para os seus  filhos.

O que nós como mães podemos fazer é estimular essa autonomia desde cedo com atividades simples e que possamos permitir sem nos preocupar.

* Deixe seu filho se trocar sozinho  – Davi pelo menos tenta se trocar sozinho desde os 2 anos. Colocar a camisa, o short, calçar o sapato e até mesmo tentar amarrar o cadarço.

* Permita que ele sente a mesa e coma sem o seu auxílio – Quando Davi fez 6 meses eu já permitia que ele mesmo segurasse sua mamadeira e assim ele foi se acostumando a sempre comer “sozinho”. Hoje em dia nos momentos das refeições e até mesmo quando estamos em restaurantes o comportamento dele é o mesmo. 

* Guardar os brinquedosJá mostrei em alguns posts como organizo os brinquedos do pequeno e que aqui em casa para brincar com um certo brinquedo, só pode quando guarda o que esta brincando.

* Escovar os dentesDavi sempre escova primeiro e após a sua escovação vem a da mamãe, que ele já sabe que é a limpeza geral.  Ensine para que ele mesmo coloque o creme dental na escova, aproveite para falar sobre o desperdício da água e trabalhe a higiene e a importância de dentes saudáveis.   

* Não super proteja o seu filhoÉ  a parte mais difícil, eu sei, mas é necessário. Converse com ele sobre tudo e mostre sempre que ele é capaz. 

* Elogie sempreMesmo que ele faça uma bobagem no momento que esteja realizando algo pedido por você, saiba reconhecer seu esforço e o elogie sempre. A autoestima é sempre muito importante.

* Cuidar da roupa sujaSim! cuidar da roupa suja também faz parte, mostrar ao seu filho onde devemos coloca-las, aproveitar esse momento para que ele também aprenda a retirar a sua roupa. Aqui em casa Davi já sabe onde fica o cesto de roupa suja e podem ter certeza que tirou a roupa ele corre e coloca lá. Outro costume que temos aqui em casa é de retirar o sapato quando chegamos da rua. Então, o pequeno chega e diz logo: – Mãe vou tirar o sapato.

*Nada de cobrançasTemos sempre a tendência de querer tudo perfeito não é? mas permita que ele faça como acha que é certo e depois nós colocamos tudo no lugar que queremos. Nada de reclamações durante o aprendizado poderemos tornar nossas crianças em adultos com baixa autoestima.

Quanto mais estimuladas e quanto antes esse estimulo acontecer mais tempo a criança terá para desenvolver habilidades motoras e cognitivas necessárias para realização de tais atividades.

Agora deixo vocês com um vídeo do meu pequeno em um de seus momentos de criança independente. Espero que gostem e não deixem de curtir. Aproveitem também para convidar as amigas mamães.


                 

*Sugestões de temas para os posts ou vídeos sempre são bem vindos.

contato@turmadatiamari.com.br