Março marca o mês da campanha mundial de conscientização da endometriose.

23 mar
Março marca o mês da campanha mundial de conscientização da endometriose.

Além de ser o mês comemorativo do dia Internacional da Mulher, março também marca a campanha Mundial pela Conscientização da Endometriose, uma doença que atinge cerca de 10 a 15% das mulheres em idade fértil e é uma das maiores razões da infertilidade feminina.

As fortes cólicas e a dificuldade para engravidar são alguns dos principais sintomas da patologia.

IMG_8998

Apesar de muito conhecida, a endometriose ainda é um mistérios para muitas mulheres. E o que é esta doença que pode levar a infertilidade?

É uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

E essa formação de tecido sobressalente, normalmente, aparece nos ovários, intestino, no reto, na bexiga e na membrana que reveste a pélvis, embora possa aparecer em outros órgãos.

Hoje, uma das maiores dificuldades no tratamento da patologia é o diagnóstico tardio. Por falta de conhecimento, em média, uma paciente leva cerca de sete anos para descobrir que tem endometriose e, muitas vezes, já está em um grau avançado e comprometendo outros órgãos.

O Dr. Diogo Rosa, um dos coordenadores do centro de ginecologista do Grupo Perinatal, aponta que a escolha do tipo de tratamento a ser utilizado depende de vários fatores, mas pode ser feito clinicamente, à base de hormônios, ou com intervenção cirúrgica, em casos específicos, para a retirada de focos da doença.

“Existem diversas opções para o controle clínico hormonal. Pode-se utilizar progesterona isoladamente ou terapia hormonal combinada, como os contraceptivos orais. Usam-se também medicações hormonais injetáveis e, em casos específicos, um dispositivo intrauterino (DIU) à base de progesterona”, afirmou o ginecologista.

De acordo com o Dr. Alexandre Stadnick, também coordenador do centro de ginecologia da Perinatal, o uso de métodos contraceptivos como pílula e DIU influência também no tratamento da patologia. Principalmente no controle da dor, que o sintoma mais comum da doença.

“O ideal é que logo nos primeiros sinais de cólicas muito fortes, a jovem procure um médico. Isso pode ser o sinal de endometriose”, contou o Dr. Stadnick.

Os médicos ressaltam também, que a cirurgia é uma das opções de tratamento, mas que não deve ser generalizada. Os casos devem ser avaliados individualmente.

A escolha deve levar em conta o objetivo principal da paciente, que pode ser: melhora da dor, tratamento de infertilidade ou evitar progressão da doença para órgãos próximos, como intestino e vias urinárias.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
22 nov
EXTEROGESTAÇÃO.

Você já parou pra pensar que o bebê humano é o único mamífero que não nasce pronto para viver sozinho no seu habitat natural?

Passados os 9 meses (ou, aproximadamente, as 40 semanas) de gestação no útero, o bebê nasce apenas com alguns reflexos inatos (respirar e deglutir). As outras habilidade serão aprendidas com o tempo.

A teoria da Exterogestação veio para acolher melhor esse recém-nascido nos seus três primeiros meses de vida (ou o 4º trimestre), como se a gestação durasse 12 meses. Nesse período fora do útero, seria tempo suficiente para ele se adaptar à sua nova realidade – junto à sua família.

img_6794

Embora o feto se encontre em condições adequadas para a vida fora do útero, a maturidade dos sistemas nervoso central, auditivo, digestório, imunológico e da visão só ocorrem na vida extrauterina, em decorrência de estímulos que somente acontecem no meio ambiente, principalmente no primeiro ano de vida.

Imagine que você está em um local tranquilo, quentinho, bem aconchegado… e, de repente, se encontra em outro lugar, com muitas luzes, frio. Provavelmente você vai se sentir inseguro, não é?!
Esta é a sensação do bebê ao nascer.
Ele não entende onde se encontra, está com medo. E assim que é posto no colo da mãe ele para de chorar.
Já percebeu isso?!

Pois bem, esse é o objetivo da Exterogestação, reproduzir os sons e sensações vividas pelo bebê dentro do útero – pelo menos nos três primeiros meses -, no intuito de ajudá-lo na adaptação e mantê-lo seguro.

E aqui vai duas dicas que é – na maioria das vezes – infalível:

  • Usar o sling:  O bebê chora. E muito. E nem sempre é fome. Ele só quer aconchego, sentir-se seguro. E é no colo da mãe, ou do pai, que ele encontra segurança. Nesse caso, o uso do sling é muito útil, pois descansa a coluna e os braços e dá liberdade para fazer outras coisas. Sling é vida!


img_6795

  • Som do secador: Baixe qualquer aplicativo que reproduza o som de secador (de cabelo). É um santo remédio para ajudar o bebê a se acalmar e parar de chorar.

img_6796

E, lembrem-se, colo nunca é demais! ❤️

Fonte:{http://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/listas/gravidez-nao-acaba-quando-o-bebe-nasce-conheca-a-extero-gestacao.htm}

Por Rebeka Chamyé
Psicóloga Perinatal
CRP-02/15054
Instagram: @rebekachamye
Recife/PE
rebekachamye@yahoo.com.br

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
01 ago
Gravida sensível.

Sempre tem aquele dia em que você acorda um pouco mais pra baixo ou que você se magoa mais facilmente né? Ontem foi um dia desses.

Repensei muito sobre muitas coisas e acho que o meu momento (gestação) me deixou um pouco mais sensível com tudo, mas o que importa mesmo é que meu desabafo em forma de video me ajudou muito a colocar tudo pra fora que naquele momento me fazia mal e confesso que depois tive um sentimento de alivio imenso.

É sempre bom e gratificante receber a chuva de carinho sem tamanho de todas vocês, saber que se identificam com o meu jeito, que me admiram, que me respeitam e que conseguem enxergar sinceridade no que faço.

Erramos ao esperar muito das pessoas que não tem nada para oferecer e quando aprendermos a lidar com isso tudo percebemos que devemos atrair só coisas boas e esquecer as ruins.

Por isso, valorize e dê importância ao que realmente tem valor e merece sua atenção, sua família que é seu bem mais precioso e seus verdadeiros amigos.

” Aprendi, que não posso exigir muito das pessoas e nem tampouco esperar nada em troca do bem que eu fizer, porque cada um oferece exatamente aquilo que tem…

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
30 jul
Bebê mexendo na barriga da mamãe. Baby Caio, meu calombinho do amor a todo vapor.

E quando você pensa que em pouco tempo o seu bebê mais que sonhado estará em seus braços?

O coração bate acelerado, os medos começam a surgir e até a saudade da barriga que ainda não saiu você começa a sentir. Sentimentos que todas as mães compartilham.

Sentir o bebê mexer é algo inexplicável, é um momento só seu e dele, literalmente uma troca de carinho e um alivio ao saber que esta tudo bem lá dentro.

Estamos na semana 35 e muita coisa aconteceu. Nossa contagem regressiva agora esta a todo vapor, teoricamente temos 5 semanas ainda, mas que seja como Deus planejou para nós dois.

Te amo infinito, filho! E te espero ansiosa.

Beijos Mamãe.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
28 jul
Psicoembriologia. Conversando com o bebê

IMG_2522É normal toda mulher quando se vê grávida se pegar conversando com a barriga, será que as futuras mamães já pararam para pensar na possibilidade que seus bebês estão realmente escutando, entendendo e desenvolvendo psiquicamente através do que lhe é ouvido?
Existe uma técnica chamada Psicoembriologia que foi criada pelo professor e psicanalista Wilson Ribeiro por volta de 1960, que tem o objetivo de “explicar” as emoções da mamãe para o bebê, afinal a mãe entende o que sente e o porque sente, o feto ainda não..Ele está aprendendo tudo!

Psicoembriologia faz o acompanhamento psiquici do feto, ensina a mãe a expressar seus sentimentos para o bebê,  há também um tratamento psicológico da mãe durante todo o processo gestacional. O pai também pode participar do tratamento, o que é ótimo para a família no geral.

Os atendimentos podem ser feitos no consultório do profissional ou até mesmo via vídeo conferência (Skype, por exemplo). Durante o processo são aplicadas as técnicas de visualização criativa para relaxamento e contato com o bebê. Porém, além das técnicas aplicadas pelo profissional, você mamãe, pode e deve conversar diariamente com o seu filho desde quando descobrir queo coração dele bate junto ao seu.
Explicar as emoções é muito importante para o desenvolvimento e segurança do bebê.

As escolhas de todos nós vêm do que nos foi apresentado, e através da fala, podemos apresentar tudo de melhor que esse indivíduo pode vir a ser. Para isso não é necessário aplicar nenhuma técnica, basta você falar com o seu bebê e ele poderá fazer as suas próprias escolhas.

A criança psicoembriolizada torna-se entendedora do seu mundo interior e também do mundo exterior. Será uma criança mais segura de si e no futuro um adulto consciente.

Eu tenho um vídeo no qual explico melhor a técnica na prática, caso tenha interesse deixarei o link:
https://www.youtube.com/watch?v=ylo3WwMttHE

Um beijo da Mandi

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
14 jul
Enxoval do Baby Caio. A lista está quase acabando

image

 

Finalmente estou quase terminando tudo gente! Agora só falta alguns detalhes e o resto das roupinhas.

Essas comprinhas fiz com a Ju que já falei aqui no post da babá eletrônica @juluz_importados.

Pra quem gosta de vídeos das comprinhas do Baby Caio hoje a noite estarei realizando um periscope mostrando tudo pra vocês (item por item) e foram muitos né? Mas todos bem úteis.

Tem mustela, Destin, protetor de bebe confronto, lencinhos para chupetas e os primeiros dentinhos e outras coisinhas mais.

Quem quiser saber o contato dela segue aqui embaixo e fica a dica pra vocês. E quem não tem Cartão internacional pode adiquirir o gift Card e comprar em qualquer site americano.

📬 juluzimportados@gmail.com

📲+12035183435 (com o sinal de +)

Beijos e espero vocês hoje a noite.

 

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
30 jun
Cuidados com o cabelo na gestação.

IMG_3914

Oi gente!

Não sei com vocês, mas no começo da minha gravidez meu cabelo ficou uma palha. Tão seco que nem parecia o meu cabelo. Lembro que na gravidez de Davi amava meu cabelo, pois ele ficou lindo, super liso e bem sedoso.

Com o decorrer dos meses, os hormônios foram se ajeitando e o cabelo voltando ao normal. Hoje ele não cai (o que me deixa feliz) está mais bonito, mas não como na minha primeira gestação.

Li em alguns artigos que é bem comum a perda Natural do cabelo diminuir, mas que nem com todas as gravidas isso ocorre.

“Na gravidez, crescem os níveis do hormônio estrogênio, o que prolonga a fase de crescimento dos fios. Assim, o cabelo cai menos, e as mechas ficam mais volumosas. Algumas mulheres também notam que os cabelos ficam mais brilhantes na gravidez, ou que mudam de jeito (ficam mais lisos ou mais crespos)”.

 

Como cada gestação é única, então não há regras. Pode ser que no primeiro filho o cabelo fique lindo e sedoso e já no segundo todo ressacado, assim como sua pele também. E também pode ser que nem mude e fique tudo do mesmo jeitinho.

Por aqui optei em continuar usando meu shampoo da Kérastase e investi em hidratação pelo menos de 15/15 dias.

Como frequento o salão toda semana nos dias que não hidrato, faço uma lavagem especial o que já ajuda muito.

Também não escovo ou seco todos os dias para evitar a oleosidade e deixo que aquela  escovinha seja feita no final de semana que é quando saímos mais né?

Após o banho também gosto de usar um óleo chamado Oil Miracle que diminui aquele famoso “cabelo de Elba” e não deixa as pontas secas, mas nada de exagero ou seu cabelo fica bem oleoso.

IMG_3919

1) Shampoo Kérastase Cristal Liste: Ótimo para quem tem cabelos finos, com raiz oleosa e pontas mais secas.

2) Oil Miracle da Schwarzkopf: Proporciona efeitos extra nutritivo e anti- frizz.

Você pode continuar utilizando seus produtos normalmente, mas se estiver usando algo manipulado converse com a sua médica.

Agora já começo a pensar no pós parto, pois depois que o bebê nasce, é muito frequente que o cabelo da mulher caia muito. E como sofri muito com isso após o parto do Davi já vou conversar com minha dermatologista para vermos o que poderei fazer assim que o Caio nascer.

E com vocês como foi ou como está sendo os cuidados com o cabelo na gravidez?

Beijos Tia Mari 😉

 * Não deixem de nos acompanhar no insta da @turmadatiamari e no nosso Canal da Turma

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
26 fev
Maternagem.

Maternagem - Divulgacao (1.2)

A cada criança que nasce, surge uma mãe repleta de novas descobertas. E para ajudar mamães de primeira viagem, as blogueiras Ananda Urias (Meu Dia D Mãe) e Mariana Lindoso (Turma da Tia Mari) iniciam o projeto Maternagem, que tem o objetivo de promover cursos ministrados por especialistas da área. Ostart é no dia 28 de fevereiro, na Euphorie Festas, das 9h às 12h, com debate liderado por ginecologistas e obstetras do Ellas Saúde da Mulher e da nutricionista Tamyris Farias. Grávidas interessadas podem adquirir ingresso na Euphorie ou pelo email  maternagembrasil@gmail.com. O investimento é de R$ 80.

Euphorie Festas - Fachada - Imagem Michele Tyszler 3

No primeiro encontro, as profissionais falam sobre parto ideal; importância de uma alimentação balanceada; vida sexual na gestação; hipertensão e diabetes gestacional; pré-natal. E no encerramento, as bloggers Nanda e Mari trocam experiências com as participantes num bate-papo descontraído.

Parceiros – O encontro conta com uma linda mesa de chá de bebê decorada pela Comemore Design de Eventos, bolo de Paula Vieira Caker Designer e docinhos da Sniff Brigadeiros e Dessert Recife, tudo para inspirar as mamães com ideias para o chá. A identidade visual do evento é da Fabrica Design. Os cliques ficam com  Nathy Lugon Fotografia Infantil.

Serviço:

Curso Maternagem/Primeiro encontro

Quando: 28 de fevereiro

Horário: 9h às 12h

Local: Euphorie Festas (Estrada do Encanamento, Parnamirim, nº 389)
Investimento: R$ 80

Ingressos: Na Euphorie Festas ou pelo  e-mail maternagembrasil@gmail.com (vagas limitadas)

Mais Informações:

@meudiadmae

@turmadatiamari

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
24 set
Autoestima na gravidez.

Blog_Depyl_Gravidas

Mudanças hormonais, roupas apertadas, aumento de peso, sonolência, seios doloridos, dores nas costas. Essas são algumas das mudança que ocorrem ao longo da gestação. Dentre tantas preocupações acerca da gravidez, o fator físico é certamente uma das maiores.

No passado, a expectativa durante gravidez era apenas com a saúde do bebê e da mãe. Atualmente, muitas mulheres passam pela gravidez com a sensação de que precisam vencer uma guerra. Chama atenção principalmente o medo de não retornar ao peso anterior.

Esse processo resulta em  gravidas fazendo dietas restritas e se exercitando como se não houvesse outra vida dentro de si. O fundamental é a consciência de que o período da gravidez necessita não só de nutrientes, mas também do estado de espírito da mãe.

Como educadora física e trabalho diário com o publico feminino, reforço a importância da mulher se posicionar e se conscientizar sobre isso. Evite comparações! Você não precisa ter sua barriga chapada logo após o parto! Preocupe-se com o momento mais especial que esta vivendo e que passa rápido.

É possível chegar até o ultimo mês de gravidez de forma saudável e com o sentimento de que todas as mudanças estão ocorrendo pelo melhor motivo do mundo, a vinda do seu filho. Uma vida que precisa de uma mãe que saiba lidar com mudanças, e sobretudo equilíbrio.

Bia Faé – Personal Trainer – @personalsaudemulher

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
30 jan
A descoberta da minha gravidez.

Olá queridas!

Sempre quis falar um pouco da minha experiência como mãe do pequeno Davi, porém, faltava um “canal” para dividir meus medos, alegrias e descobertas.  Quando descobri que estava grávida, fui pega realmente de surpresa pela noticia que iria mudar minha vida por completo.  Eu namorava há anos com o meu #marido Diogo, mas havíamos passado por uma forte turbulência no nosso relacionamento (nem havia chegado ainda a crise dos sete anos heim? Kkk), quando ficamos separados por nove longos meses, reatando exatamente no dia do aniversário dele, em 13 de maio de 2009 (marquem esse dia) e tudo corria bem, voltando ao seu normal (é sempre bom e diferente voltar o namoro né?).

O tempo passou, estávamos bem, até que em setembro do mesmo ano, a “danada” (ciclo menstrual) não veio e mesmo achando que não estava grávida, o medo era maior do que a vontade e a coragem de tirar tudo a limpo.  Fiz exame de farmácia, deu negativo e um sentimento de alivio me bateu, até que fui convencida a fazer o exame de sangue e fiz! Resultado? Grávida até debaixo d’água, segundo minha médica.    Ansiosa, soube do resultado por telefone, minha amigona, Déa, pegou o exame, eu estava com a minha “chefa” no carro e o chororô foi muito grande (imenso, gigante, enorme mesmo!), me acalmei, parei, pensei, pensei e pensei…  Após muita reflexão, eu decidi contar para ele #marido, ensaiei um milhão de vezes a maneira como iria contar, mas na hora, tudo foi como não planejei.  Ele quando soube? Quase me engoliu (literalmente), falou, falou, falou e eu só fazia chorar… Medo? Muito! Como eu iria ser mãe? Estava preparada? E agora? Minha família? A família dele? Meu trabalho? Vou casar? E se ele não quiser?  Era tanta coisa, que não sabia nem por onde começar.  Passei a noite em claro e no outro dia foi tudo bem pior.   Falar para as pessoas, encarar ele, #marido, pessoalmente e ter a conversa que iria mudar nossas vidas.

eu e diogo

Um turbilhão de coisas novas foi acontecendo e a gente se acostumando com a idéia. Cada mês uma sensação nova e junto, um medo novo também (sempre digo que estar grávida é maravilhoso, mas cada mês é um medo diferente… ouvir coração, ver se tudo esta bem, engorda, emagrece).  Lembro bem da minha ansiedade para descobrir o sexo do meu bebe, cada visita ao médico, cada ultrasom, olhar o meu neném se formando, tudo isso se resume em uma palavra, emoção. Todas as vezes que assistia meu ultrasom chorava, aquele pontinho na imensidão escura significava a existência de uma vida dentro de mim, um neném que eu já amava mais que tudo.  Há cada visita no medico (foram muitas), surgia a pergunta: é menino ou menina? Era muita ansiedade, só quem passou sabe o quanto ficamos nervosas nesse momento.  Quanto ao nome (sim, Foi a mamãe aqui que escolheu…), Davi ou Maria Luisa e veio meu pequeno Davi.  Primeiro menino por parte da minha família, formada na maioria por mulheres, tenho 3 irmãs mulheres, uma sobrinha mulher e até a minha cachorra, a fofucha, é fêmea… afff!

Entre exames, compras para o enxoval, ainda tínhamos que montar nossa casa, pois é, ele #marido quis casar comigo ehehhee, e não havia nada melhor do que juntos começarmos a nossa vida de verdade, e finalmente chega o dia da ultima consulta com minha querida medica e anjo da guarda, Isabel Morato, quando fiquei sabendo que chegou a hora de marcar o parto (foi cesárea, ele estava laçado), a placenta esta ficando envelhecida e já era o momento de ver meu pequeno Davi. Eu tinha duas opções para escolha da data, eu poderia ter na quinta- feira, dia 13/05/10 ou na sexta- feira, dia 14/05/10 e sabem o que escolhi? Dia 13/05/10, nada mais do que o dia do aniversário do meu #marido, então imaginem a emoção de todos da família, a dele e a minha, por estar proporcionando esse momento único e especialíssimo a ele.

Ansiedade era meu nome.

Relamente nasce uma família. Mamãe, papai e Davi

Davi veio ao mundo cheio de saúde, muito lindo (lindo mesmo heim?!), parecia um boneco dos olhos azuis e cabelos ruivos (não sei a quem ele puxou… hehehehe) e com o nascimento dele, nascia uma mãe, uma nova mulher, com outros tipos de descobertas, angustias e alegrias, mas cheia de amor pra dar e uma vontade imensa de viver tudo aquilo que sempre vivi na minha profissão como pedagoga e que agora iria poder usar na minha própria vida. Será que dei conta??

E nossa conversa continua… com as próximas etapas vividas (muita coisa aconteceu).

Beijos

Tia Mari

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone