O que levar na mala do seu filho.

31 mar
O que levar na mala do seu filho.

Oi gente!

Sempre que viajamos vocês me perguntam o que levo na mala dos meninos.

Eu no papel de alérgica e de mãe de alérgicos não posso esquecer a maletinha dos medicamentos.

Claro que cada família precisa consultar a médica do seu filho para saber quais os remédios indicados para eles.

Lembro no final do ano passado que fui passar a virada de ano na praia e após uma longa viagem percebi que Davi estava com crise alérgica pelo corpo e eu não havia levado o antialérgico.

Fui na casa dos vizinhos e um deles tinha o mesmo medicamento que Davi tomava. Desde esse dia nunca mais esqueço a maletinha do remédio.

Alguns itens que podem fazer parte de uma maleta:

image1

• Antitérmico

• Anti-asmático e o espaçador: Para casos de crise alérgica, por isso não posso sair sem;

• Antialérgico: Levamos o anti-alérgico que foi indicado pela alergologista deles. Levo outro para mim, que também sou altamente alérgica.

• Pomadas para roxos: pomadas como Hirudoid podem ser utilizadas para tratar roxinhos que aparecem!

• Termômetro: Levo o digital e o de testa pra não precisar acordar os meninos.

• Soro fisiológico: Uso desde que Caio era recém nascido e levo o spray que Davi usa também;

O que não podemos esquecer também é a carteira do plano de saúde e sempre andar com uma listinha citando medicamentos que temos alergia.

E vocês o que levam na maletinha de remédios?

BULA

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
25 mar
Passeio escolar e as expectativas de uma mãe.

Oi gente!

Todo ano nossos filhos realizam aquele tão esperado passeio escolar.

image1

A expectativa não é só deles, eu como mãe também fico ansiosa.

Penso se ele vai se divertir, se vai lanchar, se vai me procurar, e se chorar?

Lembro como se fosse hoje o primeiro passeio de Davi. Ele tinha 3 anos e foi ao teatro, assistiram uma peça chamada ” O reino encantado”.

Ele ficou eufórico e eu super feliz por sentir a felicidade dele.

Fui logo conversar com a professora e pedir aquele cuidado especial, pois era a primeira vez que eu iria deixar ele fazer algo sem mim.

Milhões de perguntas vieram à minha cabeça e fui logo despejando tudo e mais um pouco.

A gente sempre tende a pensar nas coisas negativas que podem acontecer no trajeto e foi sobre elas que eu quis conversar.

Me preocupava sobre o lanche, ela me explicou que eles lanchavam no caminho.

Perguntei sobre a ida ao banheiro, caso batesse a vontade do xixi, ela disse que uma auxiliar iria acompanhando.

E se ele cair saindo do ônibus, tropeçar ou algum amiguinho esbarrar nele e ficar machucado? Elas levavam a maletinha de medicamentos, com remédio pra casos de hematomas, como Hirudoid1, antitérmicos e curativos.

Eu como pedagoga sempre penso nas mães e nas suas dúvidas, não tive vivência de passeios com meus alunos, mas como mãe já estou expert.

Ele vai todo feliz e eu faço milhões de recomendações, pareço aquelas vovós que pedem para o netinho levar o casaco quando vai sair de casa por conta do frio.

É um tal de:

– Filho, pega na mão da tia!

– Filho, faz xixi antes de ir!

– Filho, cuidado pra não se machucar!

– Filho, não esquece de comer e jogar tudo no lixo depois!

Ele já me responde com um:

– Eu já sei mãe!

E segue sorrindo!

E por aí, quais as recomendações principais em caso de passeios com a escola?

BULA

#PubliEDica #FujaDoRoxo #Hirudoid

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
23 mar
Março marca o mês da campanha mundial de conscientização da endometriose.

Além de ser o mês comemorativo do dia Internacional da Mulher, março também marca a campanha Mundial pela Conscientização da Endometriose, uma doença que atinge cerca de 10 a 15% das mulheres em idade fértil e é uma das maiores razões da infertilidade feminina.

As fortes cólicas e a dificuldade para engravidar são alguns dos principais sintomas da patologia.

IMG_8998

Apesar de muito conhecida, a endometriose ainda é um mistérios para muitas mulheres. E o que é esta doença que pode levar a infertilidade?

É uma condição na qual o endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, cresce em outras regiões do corpo.

E essa formação de tecido sobressalente, normalmente, aparece nos ovários, intestino, no reto, na bexiga e na membrana que reveste a pélvis, embora possa aparecer em outros órgãos.

Hoje, uma das maiores dificuldades no tratamento da patologia é o diagnóstico tardio. Por falta de conhecimento, em média, uma paciente leva cerca de sete anos para descobrir que tem endometriose e, muitas vezes, já está em um grau avançado e comprometendo outros órgãos.

O Dr. Diogo Rosa, um dos coordenadores do centro de ginecologista do Grupo Perinatal, aponta que a escolha do tipo de tratamento a ser utilizado depende de vários fatores, mas pode ser feito clinicamente, à base de hormônios, ou com intervenção cirúrgica, em casos específicos, para a retirada de focos da doença.

“Existem diversas opções para o controle clínico hormonal. Pode-se utilizar progesterona isoladamente ou terapia hormonal combinada, como os contraceptivos orais. Usam-se também medicações hormonais injetáveis e, em casos específicos, um dispositivo intrauterino (DIU) à base de progesterona”, afirmou o ginecologista.

De acordo com o Dr. Alexandre Stadnick, também coordenador do centro de ginecologia da Perinatal, o uso de métodos contraceptivos como pílula e DIU influência também no tratamento da patologia. Principalmente no controle da dor, que o sintoma mais comum da doença.

“O ideal é que logo nos primeiros sinais de cólicas muito fortes, a jovem procure um médico. Isso pode ser o sinal de endometriose”, contou o Dr. Stadnick.

Os médicos ressaltam também, que a cirurgia é uma das opções de tratamento, mas que não deve ser generalizada. Os casos devem ser avaliados individualmente.

A escolha deve levar em conta o objetivo principal da paciente, que pode ser: melhora da dor, tratamento de infertilidade ou evitar progressão da doença para órgãos próximos, como intestino e vias urinárias.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
02 mar
Carência de ferro: saiba se seu filho apresenta os sinais

Falta do mineral pode causar anemia ferropriva, doença que atinge muitas crianças no Brasil.

IMG_8656Quando apatia, desânimo, falta de ar, dificuldade para realizar atividade física, fraqueza muscular, fadiga crônica e perda de apetite começam a marcar presença com frequência na vida dos pequenos, os pais devem ficar atentos. Juntos, esses sintomas podem sinalizar uma anemia que pode ser devida a carência de ferro. O problema é causado pela diminuição de glóbulos vermelhos no sangue, células responsáveis por levar oxigênio para todo o organismo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, o ferro é um micromineral essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança. A deficiência de ferro pode levar, em última instância, ao desenvolvimento da anemia ferropriva, que é a carência nutricional mais prevalente no mundo. No Brasil, estima-se que entre 30% e 50% das crianças menores de 2 anos tenham anemia ferropriva.

“Inicialmente, a carência de ferro é silenciosa, porque para suprir as necessidades o organismo consome os estoques do mineral. Com isso, existe a redução da produção de sangue e a criança desenvolve uma anemia moderada por carência de ferro (ferropriva)”, explica o médico Marcelo Neubauer – CRM-SP 82623.

Uma alimentação saudável, rica em vitaminas e minerais, ajuda a prevenir não apenas a anemia, como outras diversas doenças. “Existem dois tipos de ferro que podem ser adquiridos na alimentação: o ferro tipo “heme”, que é proveniente da proteína de origem animal, especialmente carnes vermelhas, mas também de aves e peixes; e o ferro tipo “não-heme”, que é proveniente de alimentos vegetais, especialmente lentilha, soja, feijão, ervilha, nabo, brócolis, couve, espinafre, açaí, manga e abacate. De modo geral, o ferro de origem animal (heme) é melhor aproveitado no organismo”, explica o doutor Marcelo Neubauer.

Confira abaixo a ingestão diária recomendada de ferro (IDR), segundo o Ministério da Saúde, para as crianças em determinada faixa etária:

0 a 6 meses: 36mg
7 a 11 meses: 53mg
1 a 3 anos: 60mg
4 a 6 anos: 73mg
7 a 10 anos: 100mg

Referências consultadas:

1. Brasil. ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 269. Regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada (IDR) de proteína, vitaminas e minerais, de 22 de setembro de 2005. Disponível em: http://coffito.gov.br/nsite/wp-content/uploads/2016/08/resoluo-rdc-n-269-2005-ingesto-diria-recomendada-idr-de-protenas-vitaminas-e-minerais.pdf

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
21 dez
Lenço umedecido, o queridinho de toda mãe.

Oi gente!

Esses dias mostrei lá no insta da turma a pequena sapequice que o Baby Caio fez aqui em casa.

Ele simplesmente tirou a fralda e fez o número dois no chão do quarto. A mamãe aqui quase morreu do coração e lembrou que não foi a primeira vez que aconteceu acidentes como esse.

Acho que deve ser bem comum entre nós mamães acidentes com a fralda dos pequenos e pra mim o que sempre me salva é ter o lencinho umedecido nas mãos.

Lembro do dia que sai para vacinar o pequeno e a fralda vazou no bebe conforto, olhei pra Diogo e disse: – E agora?

Ele precisava tomar um banho e o bebe conforto ser limpo, mas o que nos salvou mesmo foi o lencinho.

Por aqui sempre usamos o lencinho pra tudo, e mesmo com Davi no auge dos seus 6 anos ainda utilizamos quando ele faz o número dois também.

Nos dias que eu utilizo maquiagem, o lencinho é que me salva pra fazer a limpeza do meu rosto.

Eu gosto de usar o lenço da Baby Dove, que é o lenço dos meninos, pois além dele ser hipoalergênicos, não contém álcool em sua formulação e são enriquecidos com ingredientes hidratantes, podendo utilizar no meu rosto e usar neles sem preocupação também porque a hidratação é imediata.

img_7192

Baby Dove tem dois tipo de lencinho, o azul Hidratação Enriquecida que serve para bebês com pele normal à seca e o verde que é Hidratação Sensível para bebês com pele sensível.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
14 dez
Células – Tronco e o caso da menina Raissa.

Oi gente!

Ser mãe é, sem dúvida nenhuma, uma linda missão. É tanto amor dentro do peito quando temos nosso primeiro filho! A gente até acha que não conseguirá amar mais ninguém dessa forma, até chegar o segundo filho e a gente perceber o quanto o amor se multiplica! Como explicar tanto amor, não é? Bem, está certo. Amor não precisa explicar né? Basta vivê-lo!

Estava olhando as redes sociais e encontrei essa linda história, da menina Raíssa. O quanto os pais se dedicam por serem pais, e por conviverem com essa delicada situação, da epidermólise bolhosa.

A Raíssa não pode ter contato, pois sua pele muito sensível, pode formar bolhas ao tocar pessoas e objetos. Essas bolhas se transformam em feridas, que causam dores e muitos desconfortos. A luta dos pais é constante na busca de melhor qualidade de vida para a sua pequena.

Descobriram um protocolo de pesquisa nos Estados Unidos e batalham para que ela participe desse estudo, que já demonstrou melhoras em pacientes com essa doença. E os papais ficaram grávidos! E aí, como a gente sabe, o amor multiplica!

Uma esperança para toda a família! Fizeram a coleta do sangue do cordão umbilical do Igor, para, sendo compatível com a Raíssa, utilizar em transplante conforme o estudo nos EUA.

Quem quiser conferir a história está no Facebook com o perfil “para poder abraçar”, e tem site também: http://parapoderabracar.com/

img_7206

Quando descobri sobre o quão importante era ter guardado esse material, as células-tronco, fiquei curiosíssima pois não conhecia quando o Davi nasceu e não pude então guardar.

Mas do #babycaio deu tempo e estão guardadinhas na CordCell.

Me sinto segura por ter feito essa escolha e falo isso porque sei que podemos contar com estrutura, tecnologia e profissionais especialistas e que trabalham com muito amor.

E olhem meus amores nessa foto. Minhas duas coisas lindas, que enchem minha vida de amor.

img_7117

Se vocês tiverem alguma dúvida sobre o assunto procurem a CordCell, foi muito importante para a nossa decisão ter uma conversa prévia e tirar todas as nossas dúvidas.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
06 dez
A MAGIA DE O QUEBRA-NOZES INSPIRA NATAL DA VILA 7.

Oi gente!

Quem é de recife já deve estar contando os dias para a festa de natal da vila 7.

Neste ano a delicadeza da obra O Quebra-Nozes, do compositor russo Tchaikovsky, é a inspiração da dupla Juliana Lins (Vila 7) e Juliana Martins (Libre Promo) para a IV edição do Natal Cultural da Vila 7. Marcada para 17 de dezembro, a festa transformará o Casarão da Toyolex em um mundo encantado para manter viva a magia do Natal para os pequenos.

Além das atrações de música e dança, o Natal Cultural da Vila 7 terá uma área de piquenique (onde todos podem levar toalhinhas e bebidas não alcóolicas), uma extensa programação de recreação, oficinas de cartinha para Papai Noel, Pinturinha de rosto e braço, Biketeca, parque de infláveis, entre outras atividades.

ESTRUTURA: O Natal Cultural da Vila 7 oferece espaço coberto e ao ar livre com toda uma estrutura cuidadosamente pensada para receber com conforto toda a família. O ambiente terá também um food park formado por Pé-de-sacolé, Frutas no Pote, Docecleta, Popcorn, Sach & Pão e Hasta La Pizza. A festa conta ainda com o Bar da Lacomex com destilados e espumantes.

SERVIÇO:

Natal Cultural da Vila 7

Quando: 12 de dezembro

Onde: Jardins do Casarão da Toyolex

(Av. Rui Barbosa, 1105)

Horário: 15h30

Ingressos: R$ 60,00 inteira e R$ 30,00 meia (à venda nas lojas da Vila 7 do Shopping Recife, Riomar e Toyolex (Av. Rui Barbosa, 1105)

PROGRAMAÇÃO:

15h30 – Abertura dos portões

16h00 – Chegada do Papai Noel de Helicóptero

16h00 – Beatles com a banda FAB4

17h00 – Show com a Bandalelê

17h00 – Declamação da obra o Quebra-Nozes em Cordel

18h10 – Espetáculo de ballet “O Quebra-Nozes”

18h40 – Despedida do Papai Noel

Eu não perco por nada nenhuma das festas que Ju realiza, pra mim são sempre as melhores. Espero por vocês!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
02 dez
Programação Cabine kids.

A programação infantil do Cabine Fashion está pra lá de especial! Para a última edição do ano, Bianca Branco trouxe atrações especiais para a garotada.

A turma do Pókemon, da Cia do Riso, participa pela primeira vez do evento; a Bézer Produções leva o Papai noel, o espetáculo Descendentes e Miraculous e os queridos personagens da Disney; os Herois PE também participam para a alegria da meninada.

Entre as atividades interativas, as oficinas recreativas da Bolacomxita e as pinturinhas de rosto da Claudenir Pinturinhas. Ou seja, enquanto as mamães vão às compras, as crianças podem se divertir à vontade.

Vale lembrar que a próxima edição do Cabine Fashion, acontece nos próximos dias 6 e 7 de dezembro, na Villa Ponte D’Uchôa, reunindo mais de 40 marcas oferecendo descontos, não só para o público feminino, mas também para o masculino e infantil.

A entrada custa R$ 5 mais um brinquedo que será doado para o GAC e o Movimento Pró-Criança.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
25 nov
Novos hábitos de consumo.

Oi gente!

Sabe uma atitude que venho prezando muito aqui em casa? O uso de produtos que possuam embalagem em refil.

Assim como eu converso com Davi, Jaja irei conversar com o Caio sobre o uso consciente dos recursos do nosso planeta.

Não é só economizar no uso da água durante o banho ou durante a escovação, não é só separar o lixo corretamente e o jogar no local correto.

O refil proporciona a reutilização da embalagem regular do produto, e quando usamos produtos que possuem refil, diminuímos toneladas de gastos e desperdícios.

Fico orgulhosa em saber que uma marca que confia no meu trabalho e na qual sou embaixadora nos proporciona o uso dos seu produtos que são maravilhosos e ainda ajuda na diminuição da produção de resíduos.

Essa é a embalagem refil do sabonete líquido da Baby Dove. Uso os produtos da baby Dove tanto no Davi, como em Caio e uso nele desde que nasceu.

img_6668

Os produtos possuem a mesma composição, hidratação e proteção e todas as embalagens de refil Baby Dove tem cerca de 66% menos plástico comparado a embalagem regular de 200ml.

E vocês o que estão fazendo para mudar seus hábitos de consumo?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
22 nov
EXTEROGESTAÇÃO.

Você já parou pra pensar que o bebê humano é o único mamífero que não nasce pronto para viver sozinho no seu habitat natural?

Passados os 9 meses (ou, aproximadamente, as 40 semanas) de gestação no útero, o bebê nasce apenas com alguns reflexos inatos (respirar e deglutir). As outras habilidade serão aprendidas com o tempo.

A teoria da Exterogestação veio para acolher melhor esse recém-nascido nos seus três primeiros meses de vida (ou o 4º trimestre), como se a gestação durasse 12 meses. Nesse período fora do útero, seria tempo suficiente para ele se adaptar à sua nova realidade – junto à sua família.

img_6794

Embora o feto se encontre em condições adequadas para a vida fora do útero, a maturidade dos sistemas nervoso central, auditivo, digestório, imunológico e da visão só ocorrem na vida extrauterina, em decorrência de estímulos que somente acontecem no meio ambiente, principalmente no primeiro ano de vida.

Imagine que você está em um local tranquilo, quentinho, bem aconchegado… e, de repente, se encontra em outro lugar, com muitas luzes, frio. Provavelmente você vai se sentir inseguro, não é?!
Esta é a sensação do bebê ao nascer.
Ele não entende onde se encontra, está com medo. E assim que é posto no colo da mãe ele para de chorar.
Já percebeu isso?!

Pois bem, esse é o objetivo da Exterogestação, reproduzir os sons e sensações vividas pelo bebê dentro do útero – pelo menos nos três primeiros meses -, no intuito de ajudá-lo na adaptação e mantê-lo seguro.

E aqui vai duas dicas que é – na maioria das vezes – infalível:

  • Usar o sling:  O bebê chora. E muito. E nem sempre é fome. Ele só quer aconchego, sentir-se seguro. E é no colo da mãe, ou do pai, que ele encontra segurança. Nesse caso, o uso do sling é muito útil, pois descansa a coluna e os braços e dá liberdade para fazer outras coisas. Sling é vida!


img_6795

  • Som do secador: Baixe qualquer aplicativo que reproduza o som de secador (de cabelo). É um santo remédio para ajudar o bebê a se acalmar e parar de chorar.

img_6796

E, lembrem-se, colo nunca é demais! ❤️

Fonte:{http://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/listas/gravidez-nao-acaba-quando-o-bebe-nasce-conheca-a-extero-gestacao.htm}

Por Rebeka Chamyé
Psicóloga Perinatal
CRP-02/15054
Instagram: @rebekachamye
Recife/PE
rebekachamye@yahoo.com.br

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone